Portal V1

Em sessão tumultuada vereadores aprovam projetos do Executivo

07/07/2017

Parlamento Municipal

Os vereadores de Valença se reuniram em sessão extraordinária, nesta quinta-feira (06) para apreciar quatro projetos de autoria da prefeita Ceiça Dias. A votação aconteceu em duas sessões distintas. A primeira debateu sobre abertura de credito adicional de R$ 1.515.600 (um milhão quinhentos e quinze mil e seiscentos reais), que dará sustentação ao plano de previdência própria do município. O outro dispõe sobre sons urbanos, fixa níveis, horários, licenciamento.

Na outra sessão foram apreciados os projetos, que revisa e altera a Lei Municipal 1.061/06, que dispõe sobre o Plano Diretor Participativo e por ultimo, o que trata sobre o parcelamento, uso e ocupação do solo no perímetro urbano.


 As sessões colocaram as duas bancadas (oposição e situação) em lados extremos. De um lado a oposição formada pelos vereadores Rubens Alencar e Iris Moreira, que reclamaram dos atropelos na tramitação dos projetos e de erros na confecção das peças que segundo os mesmos eram uma copia de projetos de Teresina e de Ipu no Ceará.

Outra reclamação da oposição é que a pressa da prefeita Ceiça Dias em aprovar os projetos impediu a discursão das matérias pelos vereadores que segundo a vereadora Iris Moreira estavam votando sem conhecimento da matéria.

A sessão foi mais uma vez tumultuada em parte causada pela fragilidade de sua condução. A mesa diretora, sobre tudo seu presidente, ainda encontra dificuldade em conduzir os trabalhos parlamentares e o que é mais grave ele não consegue impor sua autoridade diante dos colegas e do publico.  

Após mais de duas horas de discussão, os projetos foram aprovados sempre pelo mesmo placar de 08 a 02 com exceção do projeto do que trata sobre sons urbanos, que teve a abstenção do vereador Leilivan Martins, que alegou falta de conhecimento do projeto.

Na sessão pelo menos um ovo foi jogado nos vereadores como é possível ver nos vídeos e foto abaixo juntamente com as falas dos vereadores Rubens Alencar, Rayonardo Mendes e Francisca Iris que já pediu a gravação e a ata da sessão para acionar a Justiça.

Ovos foram jogados durante a discussão dos projetos

Compartilhe

1 Comentário

  1. Ineide Lima Verde em 08/07/2017 às 11:21

    Tem gente que se acha muito esperta, e os outros, os que preferem manter seu posicionamento, que é defender o interesse do povo… (a oposição) são por ela (esta gente) apontados como: os que não se conformam com o resultado da eleição, os retardados, loucos, ou mesmo desinformados…, embora seja perceptível que na verdade, são os únicos que estão a par da situação e, têm consciência dos estragos do que está acontecendo para o futuro; alguns até bem próximos como as duras penas importadas de outras cidades para os que não acreditando infringirem as normas…
    A conclusão é que na verdade existe o tipo, cuja palavra é apenas um risco na água, e para esta gente é natural mudar o discurso. É como muda a roupa, afinal qual o problema em virar a casaca e depois dizer: “- Só os que […] não aceitam o resultado e ficam na oposição…, são uns inconformados…” ou será que não ouvi bem? Não seria “SÃO UNS INCORRUPTÍVEIS”? Que aí sim, é bem diferente…

Deixe seu comentário