Valença do Piauí, 09 de dez, 2021

Detenta grávida queimada na cadeia, morre após 10 dias em uma UTI

presaA detenta Isabel Batista da Silva, de 20 anos, morreu por volta das 16h30 desta sexta-feira (18/07) após sofrer uma parada cardiorrespiratória na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba, onde estava internada em estado gravíssimo desde o último dia 8 de julho.

Isabel Batista e mais quatro mulheres sofreram graves queimaduras pelo corpo após uma detenta atear fogo em uma cela da ala feminina da Penitenciária Mista de Parnaíba Juiz Fontes Ibiapina. Isabel estava grávida e teve cerca de 80% do seu corpo queimado. A mesma possuía um quadro clínico tão grave, que os médicos não permitiram a transferência da paciente para a capital Teresina, onde o tratamento para esse tipo de lesão é mais adequado.

Dessa forma, minutos após dá entrada no Pronto Socorro do HEDA, Isabel Batista foi encaminhada às 11h02 para a Unidade de Terapia Intensiva do hospital. Na UTI, a detenta ficou internada em um leito por 10 dias, não resistindo a uma parada cardiorespiratória registrada na tarde desta sexta-feira (18) e vindo a óbito. Isabel Batista da Silva estava presa por furto em Buriti dos Lopes, praticado no dia 05 de julho deste ano. Uma equipe do Instituto Médico Legal foi acionada e esteve no HEDA para realizar a remoção do corpo de Isabel para o posto avançado do IML em Parnaíba, localizado no Bairro Frei Higino.

2 Comentários

ioneide

bom dia a voces que fazem paartdo portal v1

20 jul, 2014 Responder

ioneide

o que aconteceu com essa gravida e uma triteza por conta que envolvia uma crinca q nao tem culpa de nada e nem pede pra vim ao mundo

20 jul, 2014 Responder