Valença do Piauí, 17 de out, 2021

Energia terá cobrança extra no mês de novembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica anunciou nesta sexta-feira (28) que a bandeira tarifária do mês de novembro será amarela, ou seja, haverá um acréscimo de R$ 1,50 na conta a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos por cada domicílio.

Conforme relatório do Programa Mensal de Operação (PMO) do Operador Nacional do Sistema (ONS), a condição hidrológica está menos favorável no país, o que determinou o acionamento de usinas térmicas com Custo Variável Unitário (CVU) acima de R$ 211,28, impactando o custo marginal de operação (CMO) em todos as regiões.

As bandeiras tarifárias foram criadas pela Aneel com o objetivo de sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica.

O funcionamento é simples: as cores verde, amarela ou vermelha indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

“Com as bandeiras, a conta de luz fica mais transparente e o consumidor tem a melhor informação para usar a energia elétrica de forma mais consciente. A bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz: é uma forma diferente de apresentar um valor que já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido. As bandeiras sinalizam, mês a mês, o custo de geração da energia elétrica que será cobrada dos consumidores. Não existe, portanto, um novo custo, mas um sinal de preço que sinaliza para o consumidor o custo real da geração no momento em que ele está consumindo a energia, dando a oportunidade de adaptar seu consumo, se assim desejar”, pondera a Aneel, por meio de nota divulgada nesta sexta.

Ocorre que, antes da criação das bandeiras tarifárias, esse custo extra não era repassado aos consumidores, mas sim bancado pelas próprias distribuidoras de energia, até que os reajustes fossem autorizados pela Aneel.

Por que foram criadas as bandeiras tarifárias?

A energia elétrica no Brasil é gerada predominantemente por usinas hidrelétricas. Para funcionar, essas usinas dependem das chuvas e do nível de água nos reservatórios. Quando há pouca água armazenada, usinas termelétricas podem ser ligadas com a finalidade de poupar água nos reservatórios das usinas hidrelétricas. Com isso, o custo de geração aumenta, pois essas usinas são movidas a combustíveis como gás natural, carvão, óleo combustível e diesel. Por outro lado, quando há muita água armazenada, as térmicas não precisam ser ligadas e o custo de geração é menor.

Fonte: O Dia

0 Comentário