Portal V1

Trabalhador valenciano ganhará festa em seu dia. Confira

13/04/2011
<img class="size-full wp-image-3524" title="santarosaed" src="http://port

alv1.com.br/wp-content/uploads/2010/04/santarosaed.jpg” alt=”” width=”300″ height=”183″ />

Vista do Balneário Santa Rosa

Reginaldo Araújo (Folha Valençana) irá realizar no próximo dia 1º de maior a tradicional festa do Dia do Trabalhador, no Balneário Santa Rosa. A festa terá a animação do Cheiro da Terra e BB Sanfoneiro. A opção é uma boa pedida para o primeiro de maio, que esse ano será no domingo.

Além da boa musicalidade e das opções gastronômicas, os participantes terão a sua disposição todas as belezas naturais do Balneário Santa Rosa, que dispensam apresentações.

A entrada terá preços promocionais e total segurança para você e sua família. A Banca do Hélio no Terminal Rodoviario apoia o evento.

Compartilhe

2 Comentários

  1. antonio de picos em 14/04/2011 às 09:51

    Valença não é só politica,tambem tem cultura.Eu queria que todos os dias esse portal falasse coisas boas de valença,não só coisas negativa que assusta e faz com quer os turista se afaste da minha cidade,quem deveria ir embora não vai como estes forasteiros que tomam conta da nossa cidade.

  2. vicente izidorio soares em 28/04/2011 às 16:52

    Em 1886, a cidade de Chicago, um dos principais pólos industriais dos Estados Unidos, foi palco de importantes manifestações operárias. No dia 1° de maio, iniciou-se uma greve por melhores salários e condições de trabalho, tendo como bandeira prioritária a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias. Os jornais a serviço das classes dominantes, imediatamente se manifestaram afirmando que os líderes operários eram cafajestes, preguiçosos e canalhas. No dia 3 de maio, a greve continuava, e na frente de uma das fábricas, a polícia matou seis operários, deixando 50 feridos e centenas de presos. No dia 4, houve uma grande manifestação de protesto e os manifestantes foram atacados por 180 policiais, que ocasionaram a morte de centenas de pessoas. Foi decretado “Estado de Sítio” e a proibição de sair às ruas. Milhares de trabalhadores foram presos, muitas sedes de sindicatos incendiadas e residências de operários foram invadidas e saqueadas. Os principais líderes do movimento grevista foram condenados à morte na forca. Spies, Parsons, Engel e Fisher foram executados no dia 11 de novembro de 1886, enquanto que Lingg, também condenado, suicidou-se.

Deixe seu comentário