Portal V1

Após ser excluída, Margarete diz que quadro ainda pode mudar

28/06/2018

Vice-governadora Margarete Coelho

A vice-governadora Margarete Coelho (PP), que foi deixada de fora na chapa majoritária do governador Wellington Dias (PT) para as eleições 2018, esclarece que o Partido Progressista não abriu mão da vaga de vice. Sobre a candidatura a deputada federal, ela revelou que “muita coisa pode acontecer até a convenção” e está à disposição do PP, inclusive, para não concorrer neste pleito.

“Os partidos apresentaram suas pretensões e ele nos comunicou que a decisão dele, da coordenação da campanha, era de ter um candidato de cada partido na chapa majoritária. Esse critério, obviamente, nos excluiu. O critério que a gente havia proposto era de examinar o capital eleitoral do candidato, tendo em vista que uma chapa majoritária não tem como abrigar todas as siglas. Eu sempre disse que uma chapa majoritária tem que refletir o grupo, mas também a sociedade”, disse a vice-governadora, nesta quinta-feira (28).

Em entrevista, Margarete Coelho elencou motivos para não ter aberto mão da vaga de vice.

“A vice é uma mulher e temos que reconhecer que as mulheres são a maioria do eleitorado, portanto, são quem decidem as eleições. O espaço não era nosso, mas das mulheres que ganharam protagonismo com minha presença na chapa. A segunda questão é que toda a base do Progressistas insistiu na permanência na vaga. Entretanto, não condicionamos. Aceitamos a decisão do governador. Não abri mão da vaga de vice”, destaca Coelho.

Em relação a disputa a uma vaga na Câmara Federal, a vice-governadora disse que “até a convenção muita coisa pode acontecer”.

“A chapas ainda não está fechadas, não estão postas. Essa é a decisão do meu partido. Eu disse sempre que sou um soldado do meu partido. Me coloco à disposição do partido para ser candidata a qualquer cargo ou para não ser candidata. Sou advogada, professora, pesquisadora e não política de profissão. Estar ou não concorrendo ao cargo é uma situação de momento”, finaliza Margarete Coelho.

Fonte: cidadeverde

Compartilhe

1 Comentário

  1. João Raimundo em 29/06/2018 às 11:14

    Eu quero saber se mesmo sendo colocada de escanteio, vc Margarete Coelho ainda vai servi a esse governinho fraco e sem futuro como esse do índio (Wellington dias) ???
    Essa oposição do PIAUÍ, ou oposição fraca essa, só quer esta na dipindura, é o povo descontente com esse governo e os partidos mais fortes dentro do estado como o PMDB ficam se acovardando, por causa de cargos nesse governo fracassado, ou saudade da política seria como era em outros tempos, onde existia oposição de verdade, onde os políticos tinham vergonha na cara, onde os politicos tinham carácter… onde se existia fidelidade partidária, e não como hj quê o PMDB do PIAUÍ parece um bando e urubus ou carrapatos sugando o governo quê está no poder, o PMDB esta tão viciado a não disputar eleições pra governo quê o último governo do PMDB quê tivemos em nosso estado foi o grande homem chamado “MÃO SANTA” quê depois abriu o olho e viu quê o PMDB do PIAUÍ só tem parasitas como o seu THEMÍSTOCLES FILHO, um bunda mole quê leva tudo e todos com ele dentro do PMDB do PIAUÍ é de dar nojo… e vc dona MARGARETE COELHO não entre nessa dança, porquê o povo do Piauí ainda acredita na senhora, entre mesmo na oposição e seja candidata a governadora do estado e terá não só o meu voto, mais o suficiente pra se eleger governadora do nosso estado…

Deixe seu comentário