Valença do Piauí, 17 de jan, 2021

APPM prepara “concursão” para ser lançado este mês com 2 mil vagas

Serão oferecidas 2 mil vagas

O presidente da APPM (Associação Piauiense de Municípios), Francisco Macedo, garantiu ao Cidadeverde.com que nos próximos dias estará lançado o edital do “concursão” para mais de 2 mil vagas em 70 municípios.

O concurso público unificado é resultado de um acordo entre a Procuradoria Regional do Trabalho e APPM (Associação Piauiense de Municípios).

O edital do concurso será lançado até fevereiro para diversos cargos entre eles professores, médicos, enfermeiros, gari, serviços gerais e administrativos.

“O edital faz parte da segunda etapa do acordo para o concurso unificado. A adesão dos prefeitos foi até o dia 6 de dezembro, mas a nossa previsão é de abrir duas mil vagas”, disse Francisco Macedo, que é prefeito de Bocaina.

O procurador Regional do Trabalho, João Batista Machado, afirmou que o Ministério do Trabalho está constantemente fiscalizando o cumprimento da realização do concurso no poder público.

“Mais de 60 municípios já tinham aderido e a realização de concurso unificado no mesmo dia abrangerá as vagas para os municípios”, afirmou.

João Batista destacou que a prestação de serviço foi feita para atividade fins, mas as ações burocráticas são proibidas. “A atividade burocrática do Estado tem que se dar pela via do concurso público. Auxiliar administrativo, médicos, enfermeiros, professores e outros”, disse.

Fonte: cidadeverde.com

3 Comentários

Maria

Espero que o Organizar não seja o Instituto Ludus, pois não tem credibilidade.

06 jan, 2011 Responder

martha helenya

Concordo! é descrédito total o tal instituto ludus…

07 jan, 2011 Responder

Franklin Mendes

Gostaria de saber se Valença vai está no rol dessa “unificação”, pois já faz 5 anos que foi realizado um concurso para professores, vigias, zeladores e pessoal administrativo e é sabido que o municipio tem uma grande parte de prestadpres de serviços. Serviço público só com concurso. Espero que Valença aplique a lei ,não é admissível que no século XXI ainda exista a tão famosa prática do QI (Que indica).

07 jan, 2011 Responder