Portal V1

Deputado Marllos Sampaio é condecorado pelo governo do estado

14/03/2011

Deputado Marllos Sampaio e o governador Wilson Martins

O deputado federal Marllos Sampaio foi homenageado pelo governo do estado com a Medalha Gran Cruz. A premiação aconteceu na tarde deste domingo durante as festividades alusivas aos 188 da Batalha do Jenipapo em Campo Maior. Na oportunidade o deputado federal agradeceu a homenagem e reafirmou suas intenções de se utilizar do mandato de deputado para ajudar nosso estado.

Conheça a historia.

Após a proclamação da independência de Portugal, o Brasil tinha como um de seus principais desafios manter a unidade de seu extenso território. Em 1923, tropas portuguesas percorriam sua ex-colônia buscando impedir a consolidação da independência brasileira. Em 13 de março daquele ano, tropas comandadas pelo experiente oficial José da Cunha Fidié chegaram às terras às margens do riacho do Jenipapo, hoje pertencentes ao município de Campo Maior, onde encontrou resistência de homens e mulheres da região.

Armados com foices e facões e sem treinamento militar, esses piauienses partiram para o embate com os homens de Fidié. Apesar da vitória dos portugueses, a Batalha do Jenipapo fez com que Fidié perdesse munição e mantimentos. A bravura dos piauienses foi prova de que se rumasse para Oeiras, então capital do Piauí, os portugueses teriam dificuldades em galgar nova vitória. Fidié foi com suas tropas para Caxias, no Maranhão, onde foi perseguido, preso e deportado para Portugal.

“Esse é um momento da história do Brasil que deve ser conhecido e reconhecido não só pelos piauienses, mas também pelos brasileiros. Foi em Campo Maior que os portugueses tiveram a certeza de que o povo era contra a Coroa, que o povo lutaria, custasse o que custasse, pela independência do Brasil”, destacou o governador Wilson Martins.

O escritor Laurentino Gomes, autor do livro “1822”, que narra o processo de independência do Brasil e possui um parágrafo retratando a Batalha do Jenipapo, disse que conhecer a verdadeira História é fundamental para que o Brasil possa construir um futuro como grande nação. “Eu vim ao Piauí conhecer a história dessa batalha. Fiz pesquisas, entrevistei pessoas e não tenho dúvidas de que essa é uma passagem determinante para o Brasil ter conseguido manter sua integridade territorial naquele 1823”, relatou.

Medalha do Mérito Renascença

Durante a solenidade em alusão aos 188 anos da Batalha do Jenipapo, 28 personalidades e instituições foram agraciadas com Medalhas da Ordem Estadual do Mérito Renascença, maior honraria concedida pelo Governo do Piauí. A Ordem Renascença foi instituída pelo Decreto 1588, de 31 de março de 1973, durante o Governo Alberto Silva.

No grau cavaleiro foi condecorado o tenente do Exército Mauro Henrique Ramos Pereira. Como oficiais foram condecorados Cícero Manoel da Cunha e Silva, Edson de Sousa Chaves, Edwaldo Freitas Lira, Etevaldo Alves da Silva, Jansen Cerqueira de Farias, Liege Cavalcante Ribeiro, Luis Barbosa Mororó, Norberto Mendes Neto, Paulo Nunes Cordeiro, Raimundo Nonato Andrade, Sérgio Roger Arrais Torres e Zilzimar Fernandes de Sousa.

No grau comendador receberam a Medalha Antonio Jurandy Porto Rosa, Antonio Lages Alves, Carlos Alberto Amorim Ferreira, Edilsom Farias, José Maria Correia Lima e Silva, José Ovídio de Oliveira Bona, Laurentino Gomes, Lirton Nogueira Santos, Lucimary Barros de Medeiros, Moisés Augusto Leal Barbosa, Paulo de Tarso Batista Libório, Paulo Ivan da Silva Santos, além das empresas Jornal O Dia e TV Cidade Verde. No grau Gran Cruz, o homenageado foi o deputado federal Marllos Sampaio.

Teatro

Como ocorre há 14 anos, as comemorações ao aniversário da Batalha do Jenipapo foram encerradas com encenação teatral organizada pelo Grupo Harém. Ao todo, mais de 100 atores revivem a luta dos piauienses pela independência brasileira.

O espetáculo narra os momentos de articulação nas terras do Piauí pela independência, como nos municípios de Oeiras, Piracuruca, Campo Maior e Parnaíba. A peça detalha os acontecimentos que antecederam a Batalha do Jenipapo e mostra a determinação dos piauienses em defender a independência de Portugal, mesmo que para isso fosse necessário morrer.

Uma das novidades da encenação esse ano foi a participação do Coral de Vaqueiros do Piauí, que apresentou uma versão do Hino do Vaqueiro no fechamento do espetáculo, lembrando a importância da participação dos sertanejos na Batalha.

Colaboração: ccom e 180graus

Compartilhe

Deixe seu comentário