Valença do Piauí, 04 de dez, 2021

Inhuma: Medica cubana erra na indicação de medicamentos

medicoO Conselho Regional de Medicina (CRM) abriu sindicância e apurou que houve erro em um diagnóstico prescrito por uma médica cubana na cidade de Inhuma (a 238 km de Teresina). A denúncia foi investigada pela Comissão Técnica de Pediatria do Conselho com base na receita de uma criança de oito anos com infecção pulmonar.

Na receita, a médica recomendou cinco medicamentos, no entanto, a comissão avaliou que o remédio “Naproxeno, 500 mg” para ser ingerido de oito em oito horas é uma dosagem excessiva.

“Essa dosagem provocaria perfuração gástrica ou sangramento intestinal. No adulto já provocaria prejuízos imagine o risco de uma criança”, afirmou Emmanuel Fontes, presidente do CRM.

“A Comissão analisou a prescrição médica e foi constatado erro médico”, disse o presidente.

Diante do resultado, a direção do CRM irá acionar o caso aos Ministérios Público Federal e Estadual e pedir explicações aos profissionais preceptores e tutores que acompanham a médica cubana em Inhuma.

“Como a lei do Mais Médico burla o sistema e eles são intercambistas estamos fiscalizando a atuação deles e acionando os órgãos competentes”, disse.

“Além de acionar os MPF e MPE vamos pedir explicações dos preceptores e tutores que acompanha a médica cubana”, disse Emmanuel Fontes.
A equipe do Cidadeverde.com tentou localizar a médica, mas até agora não foi localizada.

3 Comentários

vicente izidorio soares

Chego a acho desumano a forma que a classe medica tenta boicotar os médicos cubanos, em varias oportunidade a classe medica brasileira, claro que existe as exceções, tenta desqualificar os médicos cubanos com esse tipo de acusação, já ouve um caso semelhante no na Bahia, onde uma medica brasileira acusou um medico cubano, e na verdade o medico tinha razão. Quem investiga os do médicos brasileiros? Pior ainda são os meios de comunicação elitista que joga farinha no ventilado sem dá o ampla direito de defesa ao acusado.

19 set, 2014 Responder

vicente izidorio soares

INFELIZMENTE NOSSOS MÉDICOS EM SUA GRANDE MAIORIA, NÃO CUMPREM O JURAMENTO QUE FAZEM NO TERMINO DE SUAS FORMATURAS, SÓ VISAM UNICA E EXCLUSIVAMENTE O DINHEIRO,SEM SE IMPORTAR COM A SAÚDE DE FAMÍLIAS CARENTES DO NOSSO SERTÃO. O QUE ESSES MÉDICOS CUBANOS FIZERAM E ESTÃO FAZENDO É UMA LIÇÃO PROFISSION

22 set, 2014 Responder

wildebert

Ter médicos cubanos não é o problema…..problema mesmo é não ter realmente certeza de que são médicos já que esse programa não tem rigor na escolha dos profissionais e nem exige fiscalização suficiente…. ser técnicos em medicina não é ser medico…..mas a maioria não saberá a diferença já que prescrever medicação de cavalo ou rato para seres humanos não faz diferença……..cuidado com as posições unidirecionais….médico é mecenário? Acho que os verdadeiros mecenários estão atrás dos gabinetes de ternos e fingindo estar preocupados com a população….Em vez de oferecer médicos a população em um sistema de saúde precário sem estrutura para diagnósticos talvez devesse sim o governo federal investir em hospitais mais dignos para seres humanos….e não amontoar doentes em macas de hospitais sucateados e sem condições dignas nem durante os seus últimos momentos de vida…..até próximo a morte precisamos de dignidade…..isso é o que acho como médico

23 set, 2014 Responder