Valença do Piauí, 04 de dez, 2021

Polícia acredita que tragédia em Parnaíba pode ter sido premeditada

delta mortos1Segundo a Polícia Civil o crime cometido pelo empresário Edilson Morais Brito, conhecido como “Rei do Delta”, pode ter sido premeditado. Na realidade, o alvo seria o pai de Matheus Portela, Genilson Veras, proprietário da empresa “Clip Turismo”. De acordo com o delegado Arthur Barros Leal, que preside o inquérito, Genilson só não foi morto porque se atrasou para o encontro marcado por Edilson.

Segundo o delegado, uma reunião foi marcada por Edilson e deveria ter a presença de Genilson, Matheus e o gerente da empresa “Clip”, com o pretexto de propor um acordo com a empresa. No local marcado, o empresário matou Matheus Portela com cinco tiros, sua própria esposa Socorro Brito com outros dois tiros e em seguida praticou suicídio.

“Eu ouvi o depoimento do gerente e ele descreveu que o relacionamento entre eles era cordial. Edilson havia marcado uma reunião para fechar um acordo com a empresa. No horário marcado, por algum motivo Genilson se atrasou e não foi. Edilson foi lá, chamou o Mateus e levou ele para a Morais Brito, enquanto o gerente e sua esposa acompanhavam atrás.

Ao entrar na loja Edilson imediatamente puxou o revólver e deu dois tiros nas costas de Matheus, nesse momento ele virou e tentou atirar contra o gerente da “Clip”, mas sua esposa se jogou na frente do gerente que fugiu e ela acabou atingida com dois tiros.

Em seguida ele teria saído tranquilamente da loja e se dirigiu a Casa dos Turistas. Lá ele procurou o gerente e chegou a apontar a arma para ele, mas quando apertou o gatilho não tinha mais munição. Ao sair de lá foi que ele foi até o local onde foi abordado por dois policiais, recarregou a arma no caminho e acabou cometendo suicídio”, descreveu o policial. No total foram contabilizados 11 disparos feitos por Edilson no momento do crime.

Fonte: cidadeverde

0 Comentário