Valença do Piauí, 25 de fev, 2021

Vereador reafirma denuncias e aliados tentam culpar oposição por falta de moradia.

 

A Prefeitura Municipal enviou à Câmara de Vereadores e à Fundação Raul Alencar, um ofício informando os recursos repassados pelo Governo Federal no mês de setembro.  O objetivo era desmentir o Vereador Joaquim Filho, que na sessão passada, disse na tribuna que o Prefeito lhe havia dito, que pediu dinheiro emprestado a uma loja de material de construção, para completar o dinheiro da Câmara. O Vereador, além de confirmar a historia, colocou seus telefones à disposição, para quebra do sigilo telefônico, “no dia 18 de setembro por volta das 11h30, o Prefeito me ligou, meus números estão à disposição para quebra do sigilo”, disse o parlamentar. Ele também informou todo o conteúdo da conversa com o Prefeito, que segundo o mesmo, iniciou o dialogo ofendendo o Presidente da Câmara, Gilmar Barbosa.

Ele revelou ainda alguns comentários feitos pelo Prefeito em outras épocas quando ofendia alguns adversários que hoje ajudaram em sua reeleição “ele usa as pessoas e depois joga fora, tenho vergonha de dizer o que o Prefeito dizia de pessoas que na época eram seus adversários e até mesmo de familiares de seus correligionários”, disse. Se o pronunciamento do Vereador aguçou os ânimos, o clima chegou ao ápice quando o Presidente da Fundação Raul Alencar rebateu as críticas, feitas pelo radialista e Vereador Lindomar Amâncio, que culpava a Fundação pelo despejo de oito famílias que ocuparam, de forma irregular, o residencial, querendo responsabilizá-lo e isentando quem tem a obrigação primeira, que é o Poder Público Municipal. Em Valença moralidade administrativa, retidão com a coisa pública e obrigação com saúde, educação, saneamento básico e moradia é cobrado apenas de fundações e ONGs.

jfdghjhthit45
0 Comentário
Comentários fechados.