Portal V1

Altura de lombadas da PI 469 gera discussão entre motoristas.

29/07/2010
A altura das lombadas prejudica a passagens de carros pequenos e de transporte coletivo.

A altura das lombadas prejudica a passagens de carros pequenos e de transporte coletivo.

Os motoristas que trafegam pela PI 469 (Valença – Lagoa do Sitio) estão reclamando da altura das lombadas construídas pelo Departamento de Estradas e Rodagens do Piauí-PI (DER-PI). A reclamação giro em torno da altura e da falta de pintura nas lombadas que foram construídas para amenizar os vários acidentes ocorridos na PI inaugurada em 2008.

Segundo os motoristas, a altura das lombadas estão causando incomodo, principalmente aos carros de passeio que arrastam ao passar pelas lombadas e os motoqueiros estão evitando as lombadas “sempre que passo por aqui saio da pista e passo pelo lado, elas são muito altas, parece pista de rali” disse o motoqueiro José Francisco.

A colocação das lombadas na PI 469 já foi motivos de muitos discursos no Parlamento Municipal, os vereadores Joaquim Filho (PTB) e Ielva Melão (PPS) aprovaram requerimento em conjunto pedindo a construção das lombadas, ainda no período em que a PI estava sendo construída.

No primeiro semestre desse ano, o vereador Valdefran Vieira aprovou outro requerimento com copia para o DER-PI, que com a intercessão da prefeitura terminou autorizando a construção das lombadas. Se por um lado os motoristas estão reclamando com a altura das lombadas, os moradores mesmo estão felizes com a obra. “Até concordo que elas estão altas, mas depois da colocação delas não tivemos mais acidentes graves” disse o senhor Antônio Francisco.

As 06 lombadas construídas beneficiam os bairros Campestre e Barrinha, no entanto o DER-PI deixou dois trechos da PI 469 desprotegidos, as ladeiras do Buritizinho e do Corrente local do último acidente fatal, no mês de janeiro, quando morreu em um acidente de moto o trabalhador rural João Antônio residente em Lagoa do Sitio. De acordo com a placa da obra o DER-PI gastou 109.616,00 com a obra.

Clic e leia a Resolução 39 que Regulamenta e Estabelece os padrões e critérios para a instalação de ondulações transversais e sonorizadores nas vias públicas

http://www.pr.gov.br/mtm/legislacao/resolucoes/resolucao039.htm

.

Compartilhe

5 Comentários

  1. Francisco Alves em 29/07/2010 às 18:34

    O mais incrivel num é altura dos quebra molas mais o preço deles. Se foram seis a 109 mil reais, o valor dele sai cada um, cerca de 19 mil rais, certo que tem mão de obra sinalização e outros gastos, mas concerteza ta caro com 19 mil da para fazer duas casas. Muito caro um quebra molas de 19 mil reais.

  2. Pérola Stain em 30/07/2010 às 12:34

    Se esses quebra molas custaram aos cofres publicos 109 mil reais me assusta tentar saber quanto vai custar a obra faraônica da entrada de Valença.

  3. fabiano em 03/08/2010 às 08:56

    rapaz é uma pouca vergonha falar que essas lombadas costáram esse valor se querem desviar dinheiro publico que fação isso sem essa cara de pau toda, e esse engenheiro que fez as lombadas ele comprou o diploma,o por que todos já viram e só vber as lombadas

  4. Jonas em 15/02/2011 às 12:08

    …Aliás, deixo a sugestão: Se não pode andar com uma certa velocidade nas rodovias, porque não tiram o asfato e deixam estradas de terra como antigamente. Aí ninguém anda e pronto. Ou ainda, coloquem porteiras a cada 2 km, como as estradas de sítio. O sujeito pára, abre a porteira, passa, desce p/ fecha a porteira e só aí segue por mais dois km, até a próxima porteira. Não seria mais lógico educar o povo pra não ficar “dormingo” onde não deve? Ainda, se o problema é povo mal educado que não respeita a sinalização, é só igualar o valor da multa com o valor do veículo. Aí o sujeito perde o carro e não dá mais problema. Ainda, porque ninguém obriga as empresas a colocar nos veículos um controlador de velocidade que trava em um valor máximo estabelecido por lei? Deixa-se nesse caso, isentos desse controle só viaturas policiais, ambulâncias, resgates e bombeiros. O restante todo mundo anda moderadamente, ainda que pela força do estado.

  5. Jonas em 15/02/2011 às 12:15

    …Viram. Fácil. Basta querer. Só que isso né… infelizmente não é simpático aos olhos do povão e pior… não dá voto. Por isso o Brasil não muda. Falta coragem para meter o dedo na ferida, doa a quem doer. O Brasil é um país de faz de conta. Aqui ninguém tem a coragem de agir conforme o mundo moderno exige. Ação. É melhor pecar por excesso eo que por omissção.

Deixe seu comentário