Portal V1

Eleiçôes 2010: Cadê os votos da oposição?

04/11/2010
Wilson Martins, Rubens Alencar e Wellington Dias

Wilson Martins, Rubens Alencar e Wellington Dias

O encerramento da campanha eleitoral em Valença não pôs fim à rotina agitada dos últimos dias. Passadas as eleições, a corrida agora é pela maior aproximação com os eleitos visando sobre tudo um bom cargo na nova gestão que se inicia em janeiro próximo. Esse segundo turno foi bem atípico em nossa cidade, a decisão por parte da oposição de apoiar a candidatura de reeleição do governador Wilson Martins acabou gerando muitas particularidades que merecem uma reflexão mais apurada.

O apoio do principal líder oposicionista (Rubens Alencar) a candidatura governista em princípio não foi bem vista por parte dos seus simpatizantes que só vieram a aceitar a idéia depois do afago do governador durante sua visita a Valença. A vinda do governador a Valença foi uma sugestão dos aliados do prefeito Alcântara que queriam mostrar força e a preferência do governador ao grupo do prefeito, no entanto a estratégia terminou não dando certo porque durante a carreata realizada ao meio-dia o governador não pôde cumprimentar a população que estava escondida em suas casas com medo do sol forte.

Ao chegar ao comitê da oposição, o governador se deparou com um comitê montado (sem nenhum custo para a sua campanha) e muita gente saudando sua presença na cidade, essa empolgação levou o governador a convidar a todos para um arrastão que não fazia parte da programação e que terminou sendo inserido no programa final da TV.

Outro ponto interessante foram os discursos de algumas lideranças municipais que diante do apoio da oposição chegaram a utilizar os meios de comunicação e solenidades para insinuar que a população não votasse no governador, pois uma votação superior a do primeiro turno iria beneficiar a oposição.

Essas gravações foram enviadas ao Palácio de Karnak com nome e sobrenome para o governador analisar o comportamento de seus aliados. O incômodo dos correligionários do governador serviu como fermento para a oposição que passou a ter na insatisfação dos seus oposicionistas o estímulo necessário para votar no 40 e superar a votação obtida no primeiro turno.

Outra manifestação bastante corriqueira em Valença pós eleição, é a mudança de partido, certamente o PSDB e o DEM não estarão na lista para futuras filiações.

Um fato registrado durante a apuração dos votos exemplifica todos esses acontecimentos narrados aqui. Uma liderança ao ter nas mãos o resultado de três urnas e vendo que a maioria do governador era de pouco mais de 200 votos indagava a todos “cadê os votos da oposição”. Depois de pedirem para correligionários não votarem no governo para não ajudar a oposição, essas mesmas lideranças tentam se redimir realizando e participando de eventos comemorativos com os olhos nos cargos do estado que, por picuinhas locais foi esquecido.

Compartilhe

1 Comentário

  1. Daniel Sousa em 04/11/2010 às 10:02

    Onde chegou o desespero daquela liderença que não posso nem citar o nome pq dá azar kkkkkk pedir voto para contra seu candidato para não perder os cargos kkkkkk

Deixe seu comentário