Valença do Piauí, 09 de ago, 2022

Casal ainda lamenta morte do filho de quatro meses. Veja Fotos

casal Antonio José e Jaqueline Sousa
casal Antonio José e Jaqueline Sousa

O casal Antonio José e Jaqueline Sousa ainda não superou a dor de perder o primogênito Anthony Rhyan de quatro meses, depois que o mesmo caiu no ultimo domingo (31) da cama do casal no bairro Vale-verde. O momento da queda só não foi pior do que a sensação de impotência de ver o filho sofrer sem ter como amenizar o sofrimento por quase quatro horas até sua morte a caminho de Teresina.

Em entrevista, o casal contou que o filho caiu por volta das 14h da cama do casal de onde foi levado as pressas para o hospital regional de Valença. O casal afirmou que passaram três momentos de grande apreensão.

“O medico passou um remédio (paracetamol), mas o hospital não tinha, ai eu comprei na farmácia ao lado, pedi pra ele ver o estado de sonolência do bebê, que não tava normal, foi quando o medico pediu uma lanterna para ver os olhos dele, também não tinha esse tipo de lanterna e na hora de levar a criança para Teresina a ambulância não apareceu. Graças a Deus tinha uma amiga que ligou para o prefeito que nos arranjou a ambulância, mais o nosso bebê que já tinha sofrido quase quatro horas não aguentou nem a metade da viagem e morreu” relatou o pai com os olhos cheios de lagrimas.

O pai que é mototaxista ainda não conseguiu entender o motivo de tantas circunstâncias desfavorável encontradas no atendimento ao seu filho no hospital regional. A reportagem não localizou o medico responsável pelo atendimento para dar sua versão, que ainda continua em aberto.  Veja fotos

.
9 Comentários

weliton

Nossa noticia triste ,pode ter sido um acidente sim , mais houve negligência demoraram muito pra socorrer a criança se caiu ta sonolento era necessário uma ultrasom etc. etc. cuidados médicos o mesmo passa (paracetamol) sem saber o que realmente aconteceu vergonha um inocente morreu sem socorro…….

05 abr, 2013 Responder

Jack

Não tei coração deixa uma crianças morre sem fase nada

06 abr, 2013 Responder

Paulo Araujo

Mais um absurdo que acontece no Hospital Regional. O que falta m Valença é fiscalização para com os desmandos que acontecem em muitas repartições públicas, sendo que o hospital regional é onde ocorre o maior número de …, é uma repartição viciada e eivada pela … sem limites. Pois é público e notório que os recursos do hospital não são aplicados em sua plenitude onde realmente deveriam ser colocados, pois até ….são patrocinados pelos cofres do hospital, dinheiro este que deveria ser aplicado no melhoramento da estrutura mínima do órgão. Senão vejamos, porque essa loucura do atual diretor do órgão de não querer sair do cargo? Para isso fecha qualquer tipo de acordo, sendo o último deles, feito com o Marllos Sampaio para deputado federal, isso não foi feito em vão, ou foi? Pois se o diretor vier a perder a …”, terá que desembolsar de seus próprios recursos pessoais…, coisa que não faz a 12 anos(quatro à frente da prefeitura e oito à frente do hospital). Isso contamina também não só o diretor, mas também alguns servidores do órgão mais “chegados” do diretor que até piscina construíram em casa, tudo bancado (alguém aí adivinha quem é?) Com tudo isso valencianos, não é estranho que tal incompetência e falta de estrutura em um simples atendimento seja constatada, como foi o caso deste episódio. Isso ainda não é nada, pois é só a pontinha do iceberg. Lamentável!!!!
Ah, mais uma vez antes que eu me esqueça, alguém aí adivinha de quem estou falando? Dou um doce para quem adivinhar.

06 abr, 2013 Responder

Daniel Sousa

A minha vontade depois de ler essa matéria, foi de gritar, chingar e esbravejar todo mundo, mas vou apenas dizer que é uma inresponsabilidade o que se faz com o dinheiro público nessa cidade. O pior de tudo é que esse “FAVOR” de ter arrumado a ambulância pra levar a criança pra Teresina, ainda vai ser cobrado na próxima eleição.

06 abr, 2013 Responder

Aílton Carvalho

Disso eu não tenho nenhuma dúvida, caro Daniel Sousa, o povo infelizmente tem memória curta.

06 abr, 2013 Responder

joana cardoso

RESUMIR TUDO ISSO EM TRISTEZA, LAMENTAÇOES,É MUITO POUCO PERDER UM AMOR É A MAIOR DOR QUE POSSA EXISTIR ENQUANTO VIDA E SE FALANDO EM PERDER UM FILHO É SIMPLISMENTE VEGETAR PORQUE A VIDA NUNCA MAIS É A MESMA.NÃO TENHO FILHOS MAS SEI O QUANTO É DOLOROSO SABER QUE PERDEMOS ALGUEM QUE AMAMOS PARA SEMPRE.
TUDO CULPA DAS AUTORIDADES PUBLICA DESTA CIDADE QUE SÓ PENSAM EM SI,SABENDO ELES QUE UM DIA PODERÃO PRECISAR DE UM ATENDIMENTO DE EMERGENCIA , DE SEUS FILHOS PRECISAREM DE UM SOCOORRO MEDICO E NÃO TER UM PARACETAMOL OU ATE MESMO UMA LUPA PARA SEREM EXAMINADOS JA PENSARAM NISSO AUTORIIIDADESSS DE…
É MAIS QUE LAMENTAVEL ,É FALTA DE COMPROMISSO DE AMOR AO PROXIMO É PIOR DE SI MESMO.

06 abr, 2013 Responder

juliana

Não tenho palavras por tantas barbaridades que vejo neste Hospital,se tem dinheiro é gente se não,é só mas um bicho que chega doente…

08 abr, 2013 Responder

Jack

Será se fosse o filho dele ele não teria manda imediatamente para terecina e porque São pobre tou indiquinada com esse médico que deixa uma crianças moro sem se preroculpa se vai more ou não … O Anthony rhyan se foi e nada foi feito para salva sua vida que estava apenas apenas começando fim

08 abr, 2013 Responder

carlos

É isso o compromisso aimda tem gente que diz se o atual diretor sair do ospital ele se acaba eu ja que o hospital ja esta acabado não tem nem lupa nem paracetamol

08 abr, 2013 Responder