Valença do Piauí, 24 de jun, 2021

Chuvas no Piauí devem continuar acima da média, aponta Semar

Avenida Joaquim Manoel em Valença do Piaui
Avenida Joaquim Manoel em Valença do Piaui

O mês de janeiro já pode ser considerado o mais chuvoso dos últimos anos no estado do Piauí. Dados da Gerência de Hidrometeorologia da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) mostram que, até a manhã desegunda-feira (25), foram 263,6 mm de chuva em todo o estado, quase o dobro do registrado em 2015. Na região sul é onde esse acumulado é maior.

“Podemos citar Itaueira como exemplo de cidade onde se verificou chuvas acima da média. Só no dia 22 choveu 160 mm, quase o esperado para o mês inteiro. Em virtude disso, as barragens daquele município estão a ponto de transbordar. Em Castelo do Piauí, até esta segunda-feira, choveu 487,8 mm, o maior acumulado, seguido por Ribeiro Gonçalves, com 470,2 mm, e Floriano, com 437,4 mm”, afirma Sônia Feitosa, gerente de Hidrometeorologia da Semar.

Em Teresina choveu nas últimas 48 horas 73,2 mm, um volume bastante significativo. A previsão era de que até o fim do mês chegaríamos a 230 mm, mas essa marca já foi ultrapassada. As estações meteorológicas da Semar registraram 277,6 mm desde o dia primeiro até as 10 horas desta segunda-feira, o dobro do registrado em 2015, quando se chegou próximo de 100 mm.

A meteorologista alerta que nos próximos cinco dias poderão ocorrer pancadas de chuva acompanhadas de descargas elétricas e rajadas de vento na capital e em parte do Piauí, especialmente na região sul.

O que explica as chuvas de janeiro acima da média é a atuação de Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis (VCAN), uma área onde os ventos nos níveis mais altos da atmosfera giram no sentido horário, fazendo com que o ar seco desses níveis mais altos desçam para a superfície, sendo responsáveis pela formação e manutenção de áreas de instabilidade que provocam bastante chuva. O fenômeno El Niño, que até poucos dias provocou escassez de chuvas no Piauí, perdeu força frente à atuação dos Vórtices Ciclônicos.

A grande quantidade de chuva se reflete no nível dos rios. O Poti, em seu trecho urbano de Teresina, está com um volume alto. De acordo com medições da Gerência de Hidrometeorologia da Semar o nível subiu 4,5 metros em 15 dias. Em Prata do Piauí, no centro-norte do estado, o rio subiu três metros e a vazão aumentou quase dez vezes neste mês de janeiro.

Sônia garante, no entanto, que a partir de fevereiro as chuvas devem diminuir de intensidade. “Já na próxima semana todo o estado do Piauí terá menos precipitação, condição que se manterá até metade do mês, quando gradativamente o volume de chuvas aumenta. Em Teresina, por exemplo, ainda é esperado grande volume de água, principalmente no mês de março. O período chuvoso se estende até maio”, finaliza.

Fonte: Governo do Estado

0 Comentário