Valença do Piauí, 19 de jan, 2021

Começam os testes para o bandalarga.0800.br

O Serviço é parecido com o 0800 telefônico

Começaram neste sábado (14/07) na cidade de São Sebastião (Distrito Federal) os testes para a implantação do projeto-piloto de banda larga 0800. O serviço de internet “a cobrar”, nos moldes do sistema telefônico 0800, fará com que o destinatário da conexão pague para o usuário se conectar.

As operadoras Oi, Tim, Claro e Vivo, parceiras do Ministério das Comunicações no projeto, distribuíram 20 smartphones cada uma a 80 pessoas selecionadas pelo Governo do Distrito Federal. Durante 15 dias, essas pessoas poderão acessar gratuitamente apágina desenvolvida pela Secretaria de Telecomunicações, que vai apresentar notícias e informações de utilidade pública.

Segundo Maximiliano Martinhão, secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, as 80 pessoas escolhidas refletem a população brasileira, por isso, estão no grupo pessoas de diferentes características de escolaridade, idade e ocupação. Um dos selecionados é a jovem Isabella Vieira da Silva, estudante com deficiência auditiva que declarou “estar ansiosa e satisfeita por participar do grupo de testes e poder explorar a internet com um celular tão avançado gratuitamente.”
De acordo com o MiniCom, os smartphones pré-pagos distribuídos são de última geração e estão programados para não realizar a cobrança do acesso ao site, a fim de testar a ferramenta 0800. A página desenvolvida pelo MiniCom poderá ser acessada por qualquer pessoa, mas apenas os participantes do teste não serão cobrados.

A diretora do Departamento de Serviços de Universalização de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Miriam Wimmer,  acredita que implementar o banda larga 0800 em todo o país “dependerá do interesse de empresas privadas e órgãos públicos que queiram contratá-lo”. Segundo a diretora, algumas empresas já manifestaram interesse em participar, mas só depois do período de testes poderão ter uma visão melhor de todo o processo de funcionamento e aceitação da nova tecnologia.

Com informações do olhar digital

0 Comentário