Portal V1

Comunidade de Taboquinha.

01/06/2009

fotos/eliseu.jpg

A comunidade de Taboquinha está muito preocupada, com os últimos acontecimentos, o presidente da associação o senhor Abadias, foi às emissoras de rádio de Valença, na semana passada e fez revelações sobre as dificuldades da associação de moradores de Taboquinha, que estão acontecendo segundo ele, por causa da politicagem de alguns políticos oportunistas, que não querem ver a comunidade crescer e ter melhores dias.

O presidente disse ao portalv1.com.br que a associação de Taboquinha contraiu empréstimo junto ao BNB- PROGER, em 10 de dezembro de 1998 no período de 27/05/99 a 27/05/2007 no valor de R$ 62.308,93 ( sessenta e dois mil, trezentos e oito reais e noventa e três centavos), em moeda corrente, os itens financiados foram: construção de um galpão para a ampliação de industrialização de cajuína, maquinas, equipamentos e implementos, perfuração de poço tubular com 120m de profundidade, aquisição de câmera túnel de congelamento, aquisição de um furgão fiorino com capacidade para 500k, aquisição de reservatório com capacidade para 5 mil litros d água com pedestal, aquisição de eletrobomba submersa de 2 cv, aquisição de material de escritório, verba para aquisição de material de embalagem, verba para capital de giro para agroindústria, verba para capacitação e outros, sendo assinado na época pelo presidente , sócios e pelo vereador Elizeu Ferreira de França (foto), mais acontece que hoje a associação está inadimplente com BNB, pela falta de pagamento, o presidente hoje o senhor Abadias, disse que já conversou com BNB para a prorrogação do débito, mais o vereador Elizeu hoje negasse a assinar, segundo o  senhor Abadias o vereador Elizeu disse em um programa de rádio, que na época assinou sem saber o que se tratava, o senhor Abadias pergunta “ será esse o representante que a taboquinha votou tantas vezes, que pode assinar uma rifa ou documento importante sem se quer ler, e por quer não assina agora a prorrogação do débito?, pois a associação está inadimplente, os sócios sem poder adquirir nenhum bem, pois seus nomes estão no SERASA e SPC, ou realmente o vereador  não quer ver, a comunidade Taboquinha crescer e seu povo ter mais qualidade de vida, pois dizem que isso tem dedo político, será de quem?”.

fotos/cama.jpg

É preciso saber que nenhum membro de qualquer instituição da República está acima da Constituição, nem pode pretender-se excluído da crítica social ou do alcance da fiscalização da coletividade. A imputação, a qualquer membro do Poder Legislativo de atos que importem em transgressão ao decoro parlamentar revela-se fato que assume, perante o corpo de cidadãos, a maior gravidade, a exigir, por isso mesmo, por efeito de imposição ética emanada de um dos dogmas essenciais da República, a plena apuração e o esclarecimento da verdade, tanto mais se considerar que o Parlamento recebeu dos cidadãos, não só o poder de representação política e a competência para legislar, mas, também, o mandato para fiscalizar os órgãos e agentes dos demais Poderes.
Qualquer ato de ofensa ao decoro parlamentar culmina por atingir, injustamente, a própria respeitabilidade institucional do Poder Legislativo, qualquer que seja – que se haja mostrado indigno da magna função de representar o Povo. Não se poderá jamais ignorar que o princípio republicano consagra o dogma de que todos os agentes públicos – legisladores, magistrados, e administradores – são responsáveis perante a lei e a Constituição, devendo expor-se, plenamente, às conseqüências que derivem de eventuais comportamentos ilícitos.

Compartilhe

Deixe seu comentário