Portal V1

Direção do hospital fala sobre licitação, cursos e campanha de trânsito

06/07/2015
Hospital Regional Eustáquio Portela

Hospital Regional Eustáquio Portela

O diretor do hospital regional Eustáquio Portela Zé Filho e a coordenadora do núcleo de segurança do paciente Luciana Martins em entrevista nesta segunda-feira (06) afirmaram que o hospital regional já conta com uma nova comissão permanente de licitação. Zé Filho afirmou que com a formação da comissão, o hospital resolverá o problema de licitação que obrigou a direção a cancelar 11 licitações, depois que o pregoeiro se julgou incapaz para presidir a sessão que contava com a presença de técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI).

Zé Filho aproveitou a entrevista para mostrar as melhorias que a nova gestão vem implantando no hospital que em breve contará com mais uma ambulância e a realização de um mutirão da catarata que beneficiará cerca de 300 pessoas, através do Programa Olhar Brasil.

“Pela primeira vez em sua historia, o hospital realizará um mutirão com essa finalidade” informou o diretor que disse ainda que nos últimos seis meses o hospital já realizou mais de 1.500 procedimentos cirúrgicos.

Sobre o atendimento medico, o diretor leu a escala medica e pediu apoio dos postos de saúde da região que ajudem ao hospital fazendo a sua parte para não sobrecarregar o hospital regional. Outra novidade anunciada pela direção é em relação à melhoria no atendimento.

Luciana Martins informou que foram conseguidos dois cursos um de humanização para os enfermeiros e outro de recursos humanos para os atendentes. “Sabemos que quando você chega ao hospital com um familiar doente, você quer todas as atenções, então o atendente precisa estar preparado para lidar com essa situação de aflição, assim como os enfermeiros precisam está preparados para lhe dar com o paciente da melhor maneira possível” disse.

Outra ação definida pela direção do hospital será focada na realização de uma campanha em parceria com outros órgãos para a diminuição dos acidentes trânsito em Valença. “O objetivo é ir pra rua, chamar a atenção da sociedade para esse grave problema que tem deixado muitos valencianos com sequelas graves. A cidade de Valença está entre as cidades mais violentas do país, quando o assunto é acidente de transito e não podemos ficar esperando esse paciente depois de acidentado” finalizou o diretor.

Compartilhe

Deixe seu comentário