Valença do Piauí, 20 de jan, 2021

Eleição em Valença e em mais duas cidades continuam indefinidas

Desembargador Haroldo Rehem, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí – TRE-PI

Em pelo menos um município piauienses a eleição não terminou neste domingo (7). Três candidatos com registro indeferido recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE – contra a decisão local e permaneceram na disputa. Um deles pode ter vencido a eleição em Valença. Se ganhar o recurso no TSE, será considerado eleito. Do contrário, o resultado da votação pode sofrer mudanças.

Segundo o desembargador Haroldo Rehem, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí – TRE-PI -, eram 11 os candidatos com recursos pendentes na última semana de campanha. Mas oito desistiram e foram substituídos. Já em Valença, Prata do Piauí e Santa Cruz dos Milagres, os indeferidos insistiram no recurso.

Haroldo Rehem explica que o julgamento de todos os candidatos deve ocorrer antes da diplomação, prevista para o fim do ano. Por enquanto, os votos dos indeferidos com recurso são considerados nulos. Se o indeferimento persistir e os votos nulos superarem 50% mais 1, quem deve assumir é o presidente da Câmara Municipal, e não o segundo colocado.

Valença do Piauí

Walfredo Filho (PSB) obteve 6.039 votos válidos. Mas os nulos somam 6.752. Nesse número estão os votos verdadeiramente nulos e os dados a Rubens Alencar (PMDB), que teve registro de candidatura indeferida, renunciou à disputa durante a campanha e voltou ao pleito. Caso ele saia vencedor no TSE, será diplomado normalmente. Se tiver recurso negado, o novo presidente da Câmara deve assumir o comando do município.

Santa Cruz dos Milagres

No santuário da fé, Neto Minervino (PDT) obteve 1.615 votos e foi considerado eleito. Dimas (PP), que teve registro indeferido, teve seus votos somados aos nulos, o que gerou o total de 1.192, insuficiente para superar o adversário na disputa.

Prata do Piauí

A situação no município não deve sofrer mudanças. Antonio Parambu foi eleito com 1.522 votos, seguido por Fransuélio Melão (PMDB), com 910 votos. A votação acusa apenas 274 votos nulos, entre os realmente anulados e os de Dr. George (PP), que teve registro indeferido.

1 Comentário

zelia

tomara que se resolva acho isso uma vergonha

13 out, 2012 Responder