Valença do Piauí, 14 de ago, 2022

Eletrobras dá dicas de segurança para festa de carnaval

Carnaval 2013
Carnaval 2013

Com a chegada de mais um carnaval e, além de cuidados com a saúde, deve-se ter uma atenção especial para o uso seguro da energia elétrica, afinal, ela contribui muito para animação das festas carnavalescas.

Seja nas ruas ou nos clubes, os cuidados devem ser redobrados, já que cresce muito a demanda por energia elétrica, sobretudo em locais onde a concentração de pessoas é maior, como nas cidades piauienses de Parnaíba, Luís Correia, Floriano, Água Branca e Barras.

Em ocasiões em que há aumento da demanda por energia elétrica, a Eletrobras Distribuição Piauí costuma elaborar um plano de contingência. E nesse carnaval, não será diferente. Para garantir a alegria dos piauienses e visitantes, a empresa intensificou as manutenções preventivas e corretivas e disponibilizará, entre os dias 8 e 12 de fevereiro, 722 técnicos de plantão — incluindo engenheiros, eletrotécnicos, eletricistas e pessoal de apoio — e 256 viaturas nos principais locais de festa.

Na hora da folia
Nesse trabalho, o folião também tem seu papel fundamental para que haja a continuidade do fornecimento e o uso seguro de energia elétrica. Com esse objetivo, a Eletrobras Distribuição Piauí alerta para cuidados a serem tomados durante a folia de Momo.

O engenheiro de Segurança do Trabalho da empresa, Edilson Uchôa, explica que, em caso de festas em locais fechados, é necessário estar atento às instalações elétricas internas. “Primeiro, deve verificar-se a capacidade da fiação utilizada para saber se suporta os equipamentos a serem ligados à rede elétrica. Os fios não devem ser emendados ou velhos. Devem-se usar disjuntores para, em caso de curto-circuito, a rede desligar. Além disso, os cabos, fios e conexões têm que ser isolados e ficar longe do alcance das pessoas presentes no local”.

Nas ruas, os foliões precisam está alerta para as dimensões do trio elétrico que deve ficar, no mínimo, a uma distância de 1,5 metros da rede elétrica, tanto na horizontal quanto na vertical do veículo, incluindo a altura das alegorias e dos ocupantes do veículo. É preciso tomar cuidado também com o uso de fogos de artifícios e de serpentinas, principalmente as feitas de material metalizado, que podem causar curto-circuito e até rompimento de cabos elétricos. “Não se deve atirá-los em direção à fiação elétrica, pois podem causar curto-circuito e até rompimento de cabos. A água também é um ótimo condutor de energia elétrica, por isso, recomenda-se evitar jato d’água próximo à rede elétrica”, alerta o engenheiro Edilson Uchôa.

Em caso de chuva, deve-se procurar um abrigo seguro, evitando ficar embaixo de árvores, caixas d’água, dentro de piscinas ou do mar e em áreas descampadas.

Cabo partido
Quando o cabo elétrico se rompe e cai, ficando ou não em contanto com o solo, deve-se manter distância e nunca tocá-lo. O mais prudente é comunicar, imediatamente, a Eletrobras Distribuição Piauí, por meio do telefone 0800 086 0800, para que a empresa tome as providências necessárias. “É importante destacarmos também que nunca se deve tocar em pessoas que estejam em contato com a rede elétrica, pois, em vez de ajudar, aumentará o número de acidentados ou mortos”, ressalta Uchôa.
Extintores de incêndio

Se houver incêndio em equipamentos elétricos energizados, o extintor adequado é o da classe C. No entanto, para que seja o uso eficaz, é fundamental que ele esteja em local bem sinalizado e de fácil acesso, com carga e pressurização em dia e serem operados por pessoas capacitadas.

Existem três tipos de extintores: os da classe A são indicados para incêndios em sólidos, que queimam e deixam resíduo, tais como a madeira, o papel, tecidos, borracha, etc; os da classe B servem para apagar fogo em líquidos e gases, que queimam na superfície e não deixam resíduos, tais como a o GLP (gás de cozinha), a gasolina, o álcool, o querosene e outros. E os extintores tipo C que são para incêndios com a presença de energia elétrica.

Primeiros socorros

O médico do trabalho, Helder França, explica que, ao se socorrer vítimas de queimadura provocada por choque elétrico, deve-se lavar a área afetada com líquido frio e/ou aplicar gelo no local. Em parada cardiorrespiratória, se o socorrista estiver sozinho, é necessário fazer respiração boca a boca — inspirando profundamente e soprando na boca da vítima a cada 5 segundo — e alterná-la com massagens cardíacas. “A massagem é feita com os braços esticados e as duas mãos abertas e sobrepostas no meio do tórax, pressionando entre os peitorais, na altura do osso esterno, com a vítima deitada de barriga para cima em superfície rígida, numa frequência de 80 a 100 massagens por minuto”,

Para atendimento especializado, chame o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência-Samu pelo telefone 192, ou Corpo de Bombeiros, discando 193.

Quanto ao consumo de bebida alcoólica, o médico lembra que a substância deixa todas as funções cognitivas, como raciocínio e reflexos, rebaixadas, consequentemente, não se pode manusear equipamentos com corrente elétrica em estado de embriaguez.

“Desejo a todos um bom carnaval, com alegria, sabedoria e energia”, completa.

0 Comentário