Valença do Piauí, 23 de fev, 2024

Emoção marca missa de 7º Dia da Enfermeira Eudoxia Ianni. Assista aqui

Muita emoção na missa de sétimo dia da enfermeira, Eudoxia Ianni Lima Verde da Silva realizada na tarde deste sábado, 02 de maio na residência de seus pais Dr. José Itamar e Ivete Lima Verde em Valença.

Devido à pandemia do novo coronavírus, a celebração foi transmitida pelas redes sociais da enfermeira que faleceu no ultimo sábado (25), após seu veiculo bater frontalmente contra outro veiculo na BR 316 na altura do povoado Tabuleta na zona rural de Valença.

Na batida morreram a enfermeira e a senhora Jovita Maria da Conceição que também foi homenageada na celebração. Dona Jovita ia no mesmo veiculo da enfermeira e faleceu no domingo, 26 de abril.

Após a celebração feita pelos padres Wanderley Morais e Antônio Carlos com a participação do diácono Rogerio Carvalho familiares homenagearam a enfermeira relembrando sua ternura, dedicação, exemplo profissional, mãe, esposa, filha, irmã e amiga. Eudoxia Ianni Lima Verde da Silva completaria 42 anos.

Bastante emocionado seu pai o advogado Dr. José Itamar agradeceu o carinho de todos que desde o acontecido cobriram a família de carinho e conforto. Ele ressaltou o carinho especial do casal Carlos José e Iris Moreira, medico Jarbas Matias e dos amigos Marcelo Costa e Dean que sempre estiveram ao seu lado. “Nossa filha minha gente foi e está sendo um Anjo de Luz” finalizou.

Veja a homenagem feita pela vereadora Iris Moreira a sua prima e a celebração da missa juntamente com alguns registros fotográficos feitos pelo PortalV1.

Não é fácil aceitarmos a inversão da ordem natural no ciclo da vida, é dolorosamente terrível e nos assombra.

Os pais ao terem que enterrar um filho ficam perdidos na sua dor, e mesmo com uma multidão de abraços, ombros amigos a consolá-los, e familiares a afagarem, não tem como reverter a dor que transforma tudo num vazio inconsolável a expandir-se num lamento interrompido apenas por soluços de corações a sangrar no choro que, solitário e triste flui com lágrimas nos olhos, e pasmos não conseguimos decifrar que tudo é o transbordar da afeição pelo corpo mortal, mas que a duras penas, devemos aceitar a separação como um propósito de Deus na certeza de que; por mais injusto que se pareça, tem um motivo e, é embasado na Lei do Amor.

Daí sabermos que ser forte; não é não chorar…; e que chorar muito, também não é demonstração de pouca fé. Somos humanos e esta, é a realidade dos tempos de nossas vidas como criaturas da Terra. Realidade que meus tios e compadres Itamar e Ivete estão a viver pela segunda vez.

Mas, já confortados pela fé, hoje entendem que quando Jesus dizia “Vinde a mim os aflitos que Eu vos aliviarei”, é porque Ele (Jesus) sabia das dores dos tempos na alma e, que é por estas dores que Deus nos acata, aceitando o nosso choro e nos dando o tempo do luto. Tanto que na sua mensagem sagrada Deus nos fala que “há tempo para tudo na vida. Tempo até para chorar”.

E a nossa família no momento vive esse tempo de choro e luto. Mas, com a certeza de que ele passará, e outro tempo chegará cheio de reverência, para acalmar os corações fazendo com que a saudade não seja mais tão dolorida, pois compreendemos que a morte não delimita a separação entre nós e aqueles que amamos, e cientes da continuidade da vida espiritual temos a certeza de que os cuidados não se perdem. Aqueles que amamos continuam a se preocupar conosco e a interferir em nossas vidas, tanto quanto lhes seja permitido, assim como estão cientes de nossos sentimentos e lembranças através de nossas orações e vibrações de amor em seu favor.

É como diz Ana Vilella: “Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si. É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti.”

E neste clima de consolação, o casal Ivete e Itamar, juntamente com seus filhos Iuri e Carol, Ronaldo, Guilherme e Giullia, querem nesta oportunidade transmitir a todos que foram solidários e serviram a Deus pela caridade de ajuda ao próximo: – com o seu apoio como os primeiros moradores da Tabuleta que ao ouviram o ressoar do estranho barulho, por eles reconhecido se aventuraram na chuva para prestarem socorro e solicitaram ajuda.

Aos guardas da Polícia Rodoviária Federal de plantão na hora do triste acontecimento, que prontamente atenderam ao chamado no afã de salvarem o que podia. Os enfermeiros do SAMU, pela rapidez da diligência e mais especial ao motorista que num gesto triste, de compaixão simplesmente baixou a cabeça para dá entender ao pai que sua filha não ia naquele carro.

Aos bombeiros de Picos que apesar do deslocamento de uma cidade para outra, não se fizeram demorar, afim de evitar a extração mutilante pela força…, com paciência e técnica a removeram quase perfeita das ferragens.

Aos médicos em especial Dr. Samuel Arraes que preocupado com as consequências desse tipo de dor humana, veio acompanhado de sua esposa em nosso socorro, sendo o primeiro amigo nos trazer conforto, conferindo nosso estado de saúde e adotando as providências para que ficássemos bem.

Aos profissionais do Hospital Eustáquio Portela que mesmo por pouco tempo, cuidaram e levaram palavras de conforto para a amiga Jovita que acompanhava a Ianni. Aos cristãos que compadecidos, mas respeitando os limites de aglomeração e outros impedidos pelas distâncias nos enviaram suas mensagens de carinho, força e fé.

Aos amigos que se expondo aos riscos do mal do tempo, aqui compareceram para nos aquecer a frieza da alma com a energia da proximidade do seu calor e o resplandecer de sua áurea. Aos vizinhos, familiares nossos e da Jovita e demais amigos que respeitando os limites de aproximação e se valendo dos meios de proteção (álcool, máscaras e sabão) aqui por algumas ou, todas as noites compareceram, para num momento de reflexão espiritual, contemplação do Sagrado sob a Luz do Divino Espírito Santo, suplicássemos a Deus a nossa consolação, e pedíssemos a Jesus a intercessão por Ianni e Jovita junto ao Pai e também consagrássemos as duas a N. Senhora, num momento de louvor, muita paz e fé na promessa da Ressurreição anunciada por Jesus Cristo. Aos coveiros que entendendo a angústia dos irmãos, tiveram paciência e disponibilidade…

Aos dirigentes dos terços Suely, Irismar, Rogério, Renata, Raylan…   nossa gratidão . 

Aos Padres Wanderlei e Antônio Carlos e Diácono Rogério, pela celebração de corpo presente com a recomendação de acordo com a fé de Ianni e pela reverente alegria da disponibilidade para hoje a louvação ao nosso Criador, nesta celebração de Ação De Graças, entoada pela voz e melodia com ações marcantes da vitória da vida sobre a morte e sob a Luz do Espírito Santo.

Agora conhecendo o convívio de cada um, como consolação lhes digo o que Ianni diria como últimas palavras se tivesse sido possível:

Para os amigos e familiares de Jovita que vencendo as barreiras do isolamento, mas com as devidas precauções aqui estiveram e estão presentes; ela diria: – Sei da amizade sincera que cada um de vocês, nos dedicavam. Sinto o seu sentimento e sua tristeza com a nossa ida prematura. Mas confie; Deus é a nossa fortaleza.

Ore a Ele nos seus momentos de aflição, no silêncio do seu pensamento, enquanto executa seus afazeres diários. Pois as orações são como um precioso incenso, sobem para o Reino da Graça e Deus lhes ouvirá. Assim ore e lembre-se, de nós e dos demais familiares que já se foram.

Ao que mesmo distante tirou o seu tempo para se unir aos familiares via internet neste momento formando um elo de orações;  agradecida devemos lembrar o que disse o bem-amado Filho Deus: “- Naquele dia vocês farão pedidos em Meu nome. E Eu digo que não precisareis pedir ao Pai em favor de vocês.” – Fui Eu que os escolhi…, assim o Pai Lhes dará tudo o que pedirem em Meu Nome”. E assim são os amigos, como Jesus, nos os escolhemos e os guardamos no coração e, mesmo distantes alimentamos a amizade por sua essência.

E Ianni continua a dizer aos seus familiares:

Carol minha irmã amada. A porta do coração deve estar constantemente aberta e mais uma vez inspirada em Ana Vilella digo: “Segura teus filhos no colo. Sorria e abraça os teus pais enquanto estás e estão por aqui. Que a vida é trem-bala parceiro. E a gente é só passageiro prestes a partir…” Sabemos,  minha irmã, que toda partida é abalizada pela saudade que faz doer, mas, nós podemos aliviá-la com o cultivo das boas lembranças da nossa existência.

Veja o exemplo do Salvador que “identificou-Se com nossas necessidades e fraquezas, tornando-Se um suplicante, junto de Seu Pai, para buscar d’Ele novos suprimentos de força, a fim de que pudesse sair revigorado para os deveres e provações do mundo”.

Iuri. Meu irmãozinho querido. A nossa História no Mundo, não é outra coisa mais que “a sagração da alma pela dor. Sem ela, não pode haver virtude completa, nem glória imperecível”. Mas é na imensidão do Universo, na busca da Estrela mais brilhante do Céu, que você agora pode encontrar o seu olhar refletindo no piscar do meu. Então a cada vez que sentir saudade: – durante o dia ore e peça Deus por nós, sendo noite; lembre, eu estarei lá.

Aos tios, sobrinhos, primos e demais familiares digo que pela oração sincera seremos ligados um ao outro com a força da mente pelo infinito poder de Jesus.

Ronaldo. Meu companheiro. A distância machuca e leva embora momentos mágicos que não voltam… Contudo da semente do amor à vida floresce e frutifica e, “na colheita surgem os laços que quando desatados chamamos de perdas”. É difícil perder alguém a quem nos sentíamos bastante chegados e, você este ano já viveu esta experiência… Mas todos perdem alguém em algum tempo da vida. É uma realidade da natureza que infelizmente temos de encarar da melhor maneira possível. Assim não fique triste. Ore pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras da tristeza pelas perdas de sua vida. E ao sentir saudades escute a nossa música: Eu Preciso Dizer Que Te Amo Numa Canção.

Guilherme meu filho amado, vida da minha vida, sei dos seus medos, como também já lhe iniciei na preparação para enfrentar o mundo. E lembre que quando a tristeza lhe atingir, leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de ideias. Tente contato com pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual

Cultive sua arte, construa seu álbum e percorra velhas fotografias. Mas, nunca esqueça de lembrar que necessitamos manter verdadeira comunhão com o Pai Celestial e o seu pensamento dirigido para a paz da reflexão pode nos aproximar mais ainda. Sempre veja Jesus como amigo a quem possa recorrer nas horas difíceis. Te amo.

Ao meu painho que sentiu o seu chão ser roubado após a primeira notícia e, agigantou-se num correr desesperado que se pudesse teria voado para chegar a tempo de socorrer sua filha ou, mesmo que de longe gritar: saia daí! Desvie…, cuidado…, Mas nada foi possível além do testemunho consternado de que tudo estava consumado e, o grito sufocado pelo choro engasgado na garganta e lágrimas contidas, foi tudo que lhe restou.

Entretanto com respeito e a serenidade que lhe é peculiar entendeu os desígnios de Deus e, para consolar a sua dor simplesmente olhou para o infinito. Sim e eu, Ianni já estava lá, embora aqui ainda visível materialmente, mas já sem vida.  Frente a isto, meu pai, deve lembrar-me como eu era, pois ainda sou, e serei a mesma em essência. Pense com alegria na fidelidade aos meus princípios e na minha determinação para servir. “Fale meu nome sem tristeza”! Quando desejar faça uma prece a Santa Mãe do Mundo pedindo que interceda por nós.

A minha mainha. Desculpe, foi uma viagem às pressas, inesperada e, sem tempo para dizer adeus. No seu suplício senti seu questionar: – e agora que você se foi? Quem acalmará meus medos? Reze a Nossa senhora. Outro. Quem trará luz para minha vida? O Divino Espírito Santo. E mais entre tantos. Quem enxugará minhas lágrimas Jesus o Filho de Deus. Mainha, lembre que eu sei que as pessoas são como Deus as fez, e quando pedimos misericórdia e bênçãos Divinas, devemos ter no coração um espírito de amor e perdão.

E saiba que apesar de o corpo não estar mais entre nós, não significa que a pessoa tenha desaparecido para sempre de nossas vidas, continue me amando. E para conter a saudade, veja que Deus nos fala pela Natureza e pela revelação, através de sua providência e influência de Seu Espírito Santo, você sabe, que Jesus também teve suas angústias e encontrava conforto e alegria na comunhão com o Pai através da oração. Se o Filho de Deus sentia a necessidade de orar, imagine nós, os débeis mortais. Eu amo a todos.

Para a todos que tanto se perguntaram quais teriam sido os últimos pensamentos da Ianni. , imagino terem sido estes.   

Que Deus ampare todas as mães e pais que choram a ausência de um filho(a), dando a eles a certeza da vida eterna no tão esperado reencontro.

Assista a celebração abaixo.

 

0 Comentário