Valença do Piauí, 27 de nov, 2021

Estudantes se articulam contra exportação de médicos cubanos

Presidentes do Brasil Dilma e de Cuba Raul Castro
Presidentes do Brasil Dilma e de Cuba Raul Castro

Acadêmicos de medicina estão se articulando nas redes sociais contra um estudo do governo federal, que visa trazer ao Brasil cerca de 6 mil médicos de Cuba para trabalharem no Brasil.  De um lado o governo brasileiro defende que a possível vinda dos médicos para o Brasil ajudará a minimizar o déficit de médicos no país. A frente dessa debate estar o ministro das relações exteriores Antônio Patriota que defende a iniciativa.

“Cuba tem uma proficiência grande nessa área de medicina, em farmacêuticos e em biotecnologia. O Brasil está examinando a possibilidade de acolher um número (de médicos cubanos) através de conversas que envolvem a Organização Panamericana de Saúde, a Opas. Está-se pensando em algo em torno de 6 mil ou pouco mais” disse Patriota.

Já o Conselho Federal de Medica (CFM) é contrario a medida por entender que para exercer a medicina no Brasil é preciso que o estudante seja formado pelas universidades brasileiras, para ter ser diploma validado, sob pena de ser acusado de exercício ilegal da profissão. Ainda segundo o CFM se o governo está realmente preocupado com o problema, ele deve readequar o SUS aparelhar os hospitais e valorizar a formação nas universidades.

Antonio Patriota afirmou que não existe nada decidido sobre o tema e que se o projeto for apresentado ele passará por uma ampla discussão, vista que a medica precisa ser aprovada pelo congresso nacional. Os estudantes de medicina colocaram o tema entre os mais discutidos nas redes sociais. De acordo com a acadêmica de medicina, a valenciana Catarina Alencar os estudantes estão atentos e prontos para defender seus direitos.

0 Comentário