Portal V1

Família do ex-prefeito Zé Simão aponta erros no processo

10/12/2015
Raimundo Reis

Raimundo Reis

O cunhado do ex-prefeito Zé Simão, Raimundo Reis usou as redes sociais para apontar erros no processo que aponta o ex-prefeito como autor do disparo que matou a ex-primeira dama de Lagoa do Sitio Gercineide Monteiro em fevereiro desse ano. Raimundo Reis além de apontar erros no processo pediu que a Justiça decida sobre o futuro do prefeito que está preso há 300 dias. Veja relato:

“Hoje fazem 300 dias que Jose de Arimateas Rabelo , piauiense ,réu primário sem antecedentes criminais. Prefeito eleito pelo voto popular foi acusado pela policia civil de matar a primeira dama do município de lagoa do sitio Gercineide Monteiro. Onde o mesmo até hoje se diz inocente.

Não existe nada conclusivo que o acuse, tipo, a origem da arma, exames pericias que o relacione por menor que seja. Tipo digital exame de pólvoras, ligações telefônicas, mensagens. Contradições em depoimentos inclusive de testemunhas.

Está preso por dizer que jantou por volta das 21h:30 e um exame do IML do “Piauí´” que nem luvas ou equipamentos tem, diz que ela foi morta quatro horas após a ultima refeição. Será que alguém é capaz de dizer e afirmar qual foi a ultima refeição de alguém. E se ela não tivesse jantado morreu quatro horas da tarde?

O mesmo IML o afirma que o acusado não manteve relações sexuais com a vitima como afirma-ra em depoimentos, agora vejam só, o absurdo do contexto. “não foi visualizado esperma ou cheiro característico. Será que no Piauí temos peritos em cheirar esperma, ele trabalha como um cachorro cheirando esperma. será que o IML não tem microscópio ou qualquer outro equipamento para tal fim.

O nosso ministério publico ao invés de investigar com clareza, com provas técnicas, com afirmações concretas, não o faz seu papel de investigar, simplesmente taxa o acusado de assassino e assina em baixo o que a policia diz. Policia que, nos noticiários e telejornais o que mais assistimos são fraudes processuais, depoimentos falsos e sem qualquer responsabilidade com o cidadão. Se não tiver uma filmagem parar provar o contrário o cidadão se passa por bandido acusado pela própria policia que recebe do estado para proteger e não cometer injustiças.

Estou hoje fazendo o meu protesto porque amanhã pode ser qualquer um de nós, um filho, um sobrinho, um cidadão qualquer, fui acusado de ter comprado uma testemunha por R$ 20 mil reais (vinte mil reais) testemunha essa que, nem sequer a conhecia. Mas como fui até a casa dela fazer uma gravação de um depoimento dela, a qual tira o Zé Simão da cena do crime. O delegado de Valença Piauí foi até uma radio local e divulgou essa noticia que eu tinha comprado a testemunha nunca me ouviu e somente agora sete meses depois, quer me ouvir pra perguntar se é verdade ou não.

É um crime que não é difícil de desvendar. O que falta é trabalho e vergonha na cara das autoridades, se apareceu à arma do crime com alguém e indicou onde estava , ora, ou foi essa pessoa só , ou ela com próprio zé, ou ela com terceiros ou ainda que não tenha sido ela, ela sabe quem foi, e está protegendo. Falta investigação nunca sequer, foi feita uma acareação dos dois, é um absurdo.

O que queremos é justiça clara, e não injustiça, manter preso uma pessoa que não tem provas concretas contra ele e nem como se defender é a pior injustiça praticada pelo ministério publico. Se tiver sido ele, que se prove com evidencias e não com suposições de um delegado e um cheirador de esperma. E quem quer que seja o criminoso que pague pelo delito.

Anima-te por teres de suportar as injustiças; a verdadeira desgraça consiste em cometê-las”.

Por Raimundo Reis

Compartilhe

Deixe seu comentário