Portal V1

Fundação Raul Alencar e Justiça são insultadas.

09/10/2009

O episodio da reintegração de oito casas pela Justiça à Fundação Raul Alencar, revelou uma face mesquinha e muito oportunismo, por parte de pessoas ligadas à Prefeitura Municipal. Como se não bastasse a tentativa da Prefeitura, em negar os ALVARÁS para a construção das casas (só foi liberado via Justiça), a Fundação Raul Alencar vem sofrendo constantes ataques de radialistas e agentes públicos, que ficam em seus gabinetes e estúdios, criticando a entidade e o seu Presidente, Rubens Alencar.

Ouviram-se afirmações contra a decisão da Justiça, que é quem resolveu reintegrar as casas para a Fundação e também afirmações de que o Presidente estaria expulsando as famílias que invadiram as residências. Não foi lembrado o sorteio realizado pela Prefeitura, há dois atrás, de cerca de 300 casas e que nunca viraram realidade. Não foi lembrado também que administração que foi reeleita, construiu nesses cinco anos 25 casas, que sobraram da administração Jarbas Matias, cuja conclusão foi feita sob protesto do gestor que criticava a ex-administração, que até os dias de hoje sofre com irregularidades, como a colocação de postes dentro dos terrenos.

 Ouviram-se apenas críticas a uma Fundação e ao seu Dirigente, que construiu em conjunto com o Governo do Estado e o Governo Federal, 201 unidades habitacionais em Valença. Ao participar de um programa de rádio, para rebater as acusações e injustiças o Presidente teve o som do seu microfone baixado, ato que fere de morte as leis da radiodifusão. Há um dito popular que afirma que “se você não puder ajudar, não atrapalhe”.

Vale lembrar que a obrigação de resolver os problemas do Município é da Prefeitura. Se oito famílias, que poderiam está entre as beneficiadas no conjunto habitacional que foi sorteado pela Prefeitura, por que não encaminhá-las ao Serviço Social do Município? Por que fomentar a idéia de invasão de um residencial, que ainda não foi entregue e por isso não se pode dizer que as casas estão fechadas? Criticar a Fundação e a Justiça, que determinou a retirada das famílias é mostrar oportunismo eleitoral e se esquivar das responsabilidades.

A própria emissora que está sendo utilizada para criticar a Justiça, a Fundação e o seu Presidente, por que não abrigar essas famílias? Por que não estimular a reclamarem da Prefeitura que é quem pode ajudar?  Já pensou se a Fundação, Vereadores, ONGs, fomentassem uma invasão de pessoas que não tem residências, que pagam a COSIP irregularmente, sem saneamento, sem iluminação, sem emprego? Já pensou se resolvessem invadir a Prefeitura? Os mesmos que hoje fomentam essa idéia, certamente estariam condenando as pessoas, que mesmo sem todos esses benefícios, conseguem raciocinar e esperar pela ação governamental. 

ex gf

Resta saber qual será a atitude tomada pelo Juiz Dr. José Wagner Linhares, em relação aos ataques diários feitos em emissora rádio a Justiça. Não se pode conceber que uma emissora, mesmo de propriedade de familiares do Prefeito e feita por autoridades municipais, estejam à vontade para criticar uma decisão judicial, ou pode?    

jfdghjhthit45
Compartilhe

2 Comentários

  1. Rafael em 09/10/2009 às 14:37

    Vale ressaltar, que não se percebe aí um insulto à justiça, pois não foi questionado a decisão judicial, e sim a atitude da Fundação de buscar a justiça para reintegração de posse dessas casas. Pois sabemos que nesse caso a justiça não age por conta própria, ela atua após ter sido acionada para resolver.

  2. kardoso Jr em 10/10/2009 às 09:25

    Muito inteligente sua matéria… Parabens!