Valença do Piauí, 24 de fev, 2024

João Vicente Claudino afirma: “Continuarei nas atividades políticas”

JVCO senador João Vicente Claudino (PTB), esteve nos estúdios do programa Bom Dia Meio Norte na manhã desta sexta-feira (24) para falar sobre como anda sua vida política após as eleições. “Nós estamos fazendo um trabalho desde que assumimos o PTB, que é um partido comum, com uma cara diferente, lideranças consolidadas, e nesse eleição conseguimos colocar isso em prática, a chapa para deputado estadual e federal teve uma presença muito forte. Isso faz com que o partido tenha uma presença muito grande nas regiões do Piauí e obtendo também bons nomes porque o bom é você oferecer pessoas capazes, como é o caso do nosso senador eleito Elmano Férrer e o deputado federal eleito Fábio Abreu que quebraram estigmas, foi um recado do povo nas urnas.

O senador também relatou como foi a sua decisão de renunciar a reeleição. “Quando eu anunciei que não seria candidato e coloquei o Elmano muita gente dizia que eu estava empurrando ele na fogueira. Eu comecei a pensar nisso a muito tempo, eu vinha sofrendo uma pressão até familiar que é normal desde que minha mãe morreu em 2011. Então em janeiro de 2013 quando o Elmano não foi reeleito eu comecei a avaliar tudo isso e acompanhar, ninguém tomou uma decisão dessa de uma hora para outra. Eu tinha que caminhar no Piauí dizer que era candidato porque senão desestruturava o partido.

O povo do Piauí estava esperando uma coisa diferente de princípios, quem venceu não foi o Elmano, foi a decência, a ética. Isso é bom para estimular a representação de segmentos sociais a participarem da vida pública tanto a mulher quanto o homem irem para política. Continuo presidente do PTB vou continuar a frente do partido, nos temos a eleição de 2016, temos que nos preparar”, falou.

Sobre sua posição no segundo turno das eleições, o senador esclareceu: “O PTB nacional faz parte da coligação do candidato Aécio Neves mas 85% do PTB do Brasil vota na Dilma, esse é um grande erro do PTB nacional nas eleições, isso é deselegante, se desconstrói. É inevitável que no ano que vem vai ter eleição para a presidência do PTB e está na hora de ter uma reorganização”, disse.

Fonte: Meio Norte

 

0 Comentário