Valença do Piauí, 04 de dez, 2021

Justiça Eleitoral ainda não decidiu sobre posse da vereadora Ielva Melão

tribunal de justiçaA 18ª Zona Eleitoral ainda não despachou a intimação ao vice-presidente da câmara municipal vereador Benedito Gomes dando ciência ao mesmo da cassação do prefeito Walfredo Filho e da vice-prefeita Paula Jeanne pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral.

A decisão que determina que o vice-presidente dê posse a presidenta da câmara Ielva Melão no cargo de prefeita municipal chegou ao cartório eleitoral da 18ª Zona Eleitoral na ultima sexta-feira (05).

Como na segunda-feira (08) foi feriado para Justiça Eleitoral havia uma expectativa de que a Justiça Eleitoral despachasse o oficio nesta terça-feira (09). A juíza eleitoral Dª Keylla Procópio está em audiência e até o fechamento dessa matéria ainda não tinha ido ao cartório eleitoral.

Além da posse da nova prefeita o meio político anda aquecido por conta da eleição da mesa diretora da câmara no próximo dia 15 de dezembro. No lado do prefeito Walfredo Filho a indicada ao cargo de presidente é a vereadora Ceiça Dias. Já na oposição a chapa ainda não foi formada. Ainda nessa semana uma reunião será marcada para definir a chapa oposicionista.

1 Comentário

Antonio Borges

Há uma frase famosa em teoria política cuja análise pode ajudar a aclarar este conceito. Lord Acton afirmou que “o poder tende a corromper – e o poder absoluto corrompe absolutamente”. Com essa afirmação sobre o poder político, lord Acton disse que a autoridade política, nas sociedades humanas, em função apenas e tão somente de sua existência, tende a danificar as relações entre seres inicialmente dotados de igualdade.
Inicialmente, “o poder tende a corromper” porque o poder político faz de seu detentor uma pessoa diferente das demais cercando-a de símbolos, distinções, privilégios e imunidades que sinalizam sua hierarquia superior. No entanto essas diferenças com que são tratadas os políticos torna nosso país cada dia mais cheio de corrupção. Nossa cidade Valença vem sofrendo uma desastrosa administração, depois de 1 ano e meio a justiça confirma o que todos já sabiam que o prefeito foi eleito usando atos ilícitos para se favorecer, vejam demorou um ano e meio para confirmação e só depois de confirmado já estar com 6 meses o gestor que nunca deveria ter administrado nada ainda continua, são decisões como esta que deixa nosso país, nosso estado, nossa cidade, nossa gente cada dia mais incrédulo em relação aos poderes: judiciário e políticos.

09 dez, 2014 Responder