Valença do Piauí, 19 de jul, 2024

Justiça em Valença ouve partes envolvidas na ação de consumidor contra Equatorial Piaui

A Justiça de Valença do Piauí ouviu no último dia 1º de setembro às partes envolvidas na ação movida pelo senhor Francisco Morais da Costa (73), contra a empresa Equatorial que aponta uma suposta irregularidade no medidor de energia do consumidor, situação está contestada pelo cliente.

A Equatorial Piauí alega que de 14 de setembro de 2022 a 17 de fevereiro de 2023, o usuário teria consumido 7.168 Kwh e não 1.341 Kwh, como registrou o medidor.

Já o consumidor diz que na casa moram apenas duas pessoas que trabalham de segunda a sexta-feira das 07h às 13h e no final do ano, no mês das férias recebe a visita de filhos e netos quando naturalmente aumenta o consumo, diferença que é registrada no medidor.

“Em setembro de 2022 nosso consumo foi de 194 kwh, outubro 211, novembro 165 e em dezembro quando recebo filhos e netos o consumo foi de 503, já em janeiro quando foram embora foi de 203, ou seja, voltou ao normal”, explicou o consumidor, que em uma das várias inspeções convidou o servidor para entrar em sua casa para ver se existia essas irregulares, uma vez que no relatório a empresa afirma que “a irregularidade não afetou o funcionamento do medidor”, diz a notificação.

Na audiência o consumidor diz que foi surpreendido com fotos do medidor com fiação trocada e exposição de sua casa e bens. “Se a fiação tivesse daquele jeito que mostraram nas fotos eles não precisavam realizar tantas inspeções e não foi uma ou duas, foram 08 vezes, teve uma hora que de tanto receber a visita deles eu convidei eles para entrarem em minha casa para ver se tinha algo errado dentro da residência”, disse o senhor Moraes.

O consumidor afirma que depois de inspecionar a residência o servidor pediu pra que ele assinasse a notificação afirmando que era apenas para comprovar que ele esteve no local fazendo a vistoria.

“Por confiar na palavra eu assinei, mas na verdade era uma pegadinha, era na verdade um documento mostrando que eu estava ciente das supostas irregularidades”, lamentou.

Francisco Moraes disse que espera que a Justiça seja feita. “Não é nem confiar, é esperar que se faça justiça, sei que se perderem aqui vão pra Teresina e Brasília e a mesma coisa digo eu vou até a última instância. Não é questão de dinheiro, é questão de respeito e constrangimento”, frisou.

O consumidor finaliza levantando outra questão. “Vamos supor que eles encontraram o problema, então o normal seria que nos meses seguintes com o novo medidor o consumo era para estar acima de 400, 600 kwh sei lá porque estava havendo um desvio de energia, pois bem, em março meu consumo foi de 177 kwh, em abril 108 e maio 100 e a última agora de agosto foi de 113 kwh”, mostrou o consumidor que continuou.

“Eu pergunto cadê o desvio, porque o consumo não aumentou com o novo medidor, porque estão cobrando R$ 6.679,36 reais de um consumo que o medidor não mostra, foi porque eu entrei na Justiça, porque o medidor antigo e o novo continuam mostrando que meu consumo as leituras são compatíveis com o consumo de duas pessoas como mostra o gráficos e só alteram em dezembro como eu falei”, desabafou.

Gráficos de consumo do consumidor dos últimos 13 meses
0 Comentário