Valença do Piauí, 05 de maio, 2021

Os impactos da pandemia e do isolamento na saúde e desenvolvimento das crianças

A quarentena trouxe um processo de desorganização na rotina e nas atividades de vida diária de todos nós, mas as crianças em especial são as mais atingidas, principalmente aquelas que já apresentavam atrasos no seu desenvolvimento como as crianças com Autismo, TDAH e outras.

O período de desenvolvimento infantil de 0 a 3 anos é muito importante porque nessa fase as crianças precisam de mais espaço para explorar o mundo, novas experiências que irão contribuir para o aprendizado e desenvolvimento de suas capacidades física, intelectual, motora e social.

O confinamento, a falta interação e afastamento da escola, tem mostrado seus reflexos e alterações de comportamento na vida de muitas crianças e suas famílias, esses reflexos estão associados a alterações de sono, alterações ansiedade, comportamentos agressivos, atrasos de fala, atrasos cognitivos, dificuldade de aprendizado, insegurança, depressão entre outros.

O tempo de confinamento também traz outra preocupação que é o uso excessivo das telas, como tablets, celulares, TVs e computadores, que limitam a criança de usar a imaginação e ter atividades mais interativas.

È preciso agir diante desse cenário, as alternativas buscadas emergencialmente, como por exemplo, o ensino remoto, foi muito importante mas substituem o importante papel da escola presencial, que agrega tantos valores e aprendizados, na vida das crianças. Mas como agir diante desse cenário que tanto tirou o convívio social, as visitas na casa da vovó, os parquinhos e tantos outros mecanismos necessários para a saúde mental de todos nós?

Não há uma receita pronta, mas o momento é de readaptação, de uma mudança hábitos e rotinas para melhorar a qualidade de vida de nossas crianças e de nós pais também. È preciso primeiramente aprender a ouvir as crianças, suas fantasias para saber lidar melhor com seus comportamentos.

Comece organizando a rotina de casa, os horários para cada atividade, envolva a criança com as responsabilidades de casa de acordo com o que sua idade permite, para que ela se sinta útil e com mais autonomia e elogie seu desempenho para estimular sua autoestima.

O brincar é forma de linguagem e aprendizado das crianças, brinque, sente no chão, brinque casinha e faz de conta isso lhe ajuda a manter conexão com as crianças e assim poder ajudar em suas dificuldades, as crianças tem dificuldade de verbalizar o que estão sentido, mas podem expressar seus sentimentos brincando.

Os impactos dessa  pandemia vão acontecer certamente, mas a proporção dele na vida das crianças vai depender muito do quanto nós pais iremos nos envolver em fazer o melhor por eles, comece por observar os comportamentos diferentes, e quando perceber que está precisando de ajuda, não deixe pra depois, cada fase do desenvolvimento das crianças de 0 a 6 anos tem sua importância e valor para se tornar um adulto saudável, busque orientação quando não conseguir ajudar seu pequeno, há profissionais de saúde que podem lhe ajudar e orientar, como o neuropediatra, Terapeuta Ocupacional, Psicólogo, Psicopedagogo  entre outros.

Como Terapeuta Ocupacional ao longo dos meus 13 anos de formação sei o quanto é importante identificar precocemente as dificuldades apresentadas pelas crianças e de quanto mais cedo estimular mais cedo as respostas e os resultados chegaram.

O Terapeuta Ocupacional é um profissional da área de saúde com formação de nível superior capacitado para possibilitar experiências e aprendizado sensório motor, estimulando funções cognitivas e adaptação das atividades de vida diária, incentivando o brincar e o lazer, propiciando qualidade e independência que são essências para o desenvolvimento de habilidades necessárias ao desempenho ocupacional competente e consequentemente a melhoria da participação social na vida das crianças.

Por Luciana Martins Terapeuta Ocupacional de Valença Piaui

0 Comentário