Portal V1

Perseguição Política.

04/08/2009

O prefeito cassado do Município de José de Freitas-PI, Robert de Almendra Freitas (PSDB), que continua no cargo através de uma liminar que conseguiu no TRE-PI, foi denunciado ao Portal GP1, acusado de perseguição política, ao motorista efetivo da prefeitura, João de Deus Moreira Lima, aprovado em concurso público e nomeado para o cargo, no dia 16 de março de 2004, pelo então prefeito Pedro Paulo Macêdo da Rocha, que foi eleito pelo PT, nas eleições municipais de 2000. João de Deus Moreira Lima denunciou à reportagem do GP1 que se encontrava no seu local de trabalho, na garagem da prefeitura, por volta do meio-dia da última sexta-feira (31), quando foi chamado por um dos responsáveis pela garagem, identificado por Valdemar Pinto que lhe apresentou uma portaria assinada pelo prefeito Robert de Almendra Freitas lhe afastando das funções, por 30 dias.
Fonte: portal GP1

A portaria nº 129/2009, de 29 de julho de 2009, assinada pelo prefeito Robert de Almendra Freitas e o Assessor de Expediente e Atos Oficiais, Cláudio da Silva Araújo diz que considerando o disposto na portaria nº 128/2009, de 28 de julho de 2009, que dispõe sobre a nomeação de uma comissão sindicante para apuração de faltas graves imputadas a servidor em conformidade com o processo administrativo nº 2.552/2009, de 24 de julho de 2009, em conformidade com o artigo 141 da Lei Municipal nº 1.046/02, tendo em vista que a permanecia deste servidor nas atividades laborativas poderá influenciar no andamento do processo sindicante, resolve afastar das atividades laborativas do cargo de motorista, o servidor João de Deus Moreira Lima, por 30 dias, podendo ser prorrogado por igual período até ser concluído o processo administrativo.

O motorista João Lima, como é mais conhecido em José de Freitas-Pi, garante que não praticou nenhuma falta grave no seu trabalho e simplesmente tem sido humilhado e perseguido pela administração do prefeito cassado Robert Freitas, porque na última eleição municipal de 2008, decidiu apoiar politicamente, o candidato a prefeito Ricardo Camarço (PPS), que foi candidato pela Coligação Vitória Que Vem do Povo, formada pelos partidos PPS, PT, PP, PC do B, PTN, PDT e PRB. João Lima disse que fez campanha abertamente pedindo votos para Ricardo Camarço, chegando ao período da campanha a ser espancado por correligionários políticos do prefeito Robert Freitas, simplesmente, porque em seu carro passava pelo Centro de José de Freitas, ouvindo a musica de campanha do candidato Ricardo Camarço. João Lima adiantou ao Portal GP1, que, com muita luta, em dezembro de 2008, conseguiu colocar na Avenida Teresina, no bairro Suco de Uva, uma pequena drogaria e durante três meses, como qualquer cidadão, tentou conseguir junto a Prefeitura de José de Freitas, um alvará de funcionamento, não tendo obtido êxito. “É muita perseguição rapaz, é muita humilhação, eu só consegui o alvará na prefeitura para minha drogaria funcionar de forma legal, quando ingressei na Justiça, quando a doutora Zilnar Leal, através de uma Ação de Obrigação de Fazer, determinou que a prefeitura expedisse o alvará de funcionamento da minha pequena farmácia”, desabafa João Lima. “Agora estão querendo forjar um processo contra mim, pois não pratiquei nenhum crime no meu trabalho e sempre honrei meus compromissos, tudo isso é política, perseguição política, porque não voto mais nele prefeito cassado Robert Freitas, infelizmente, já votei a primeira vez quando ele se elegeu a deputado estadual, mas hoje me arrependo”, declara João Moreira Lima.

O motorista João Lima garante que já têm em mãos, cópias das folhas de pontos que assina na prefeitura e já está tomando as suas providências junto à Justiça. João de Deus Moreira Lima denunciou ainda ao Portal GP1 que por duas vezes, no mês de junho deste ano, o chefe da garagem da prefeitura, identificado por Maurício, que é sargento da Polícia Militar do Piauí, falsificou sua assinatura e vai representá-lo na Justiça.

O prefeito Robert de Almendra Freitas (PSDB) e o vice-prefeito Carlos Estevam Sales de Oliveira (PMN) estão com os registros de suas candidaturas e os diplomas cassados, em Primeira Instância, pela juíza da 24ª Zona Eleitoral, Maria Zilnar Coutinho Leal, por captação ilícita de sufrágio (compra de votos) desde o dia 17 de fevereiro deste ano. Os dois continuam nos cargos através de uma liminar que conseguiram no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, no dia 19 de fevereiro deste ano. O processo que cassou Robert Freitas e Carlos Estevam já se encontra no gabinete do relator, juiz do TRE-PI, Valter Rebelo, aguardando ser levado ao Pleno do TRE para ser julgado o mérito. O Procurador Eleitoral no Piauí, Marco Túlio Lustosa Caminha já deu parecer favorável para que seja mantida a sentença da juíza da 24ª Zona Eleitoral, Maria Zilnar Coutinho e seja empossado no cargo de prefeito de José de Freitas, o segundo colocado nas eleições municipais para o cargo de prefeito.

Compartilhe

Deixe seu comentário