Portal V1

Piauí investiga oito mortes causadas pelo vírus H1N1

18/04/2016
vírus H1N1

vírus H1N1

O Piauí contabilizou nesta segunda-feira (18) oito óbitos causados supostamente pelo vírus H1N1. Os casos ainda estão sob investigação. Os números foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde e representam 17,5% do total de casos notificados da doença, que chegaram a 45.

Segundo a Coordenação Estadual de Epidemiologia, as amostras foram coletadas para confirmação por exame laboratorial. Segundo Amélia Costa, coordenadora de epidemiologia, dos 45 casos notificados, 38 são residentes Piauí. “Sete são provenientes do Maranhão, porém, foram atendidos em nosso estado”.

Quando se avalia por sexo, os registros são de que 23 acometeram pessoas do sexo feminino e, 22, do sexo masculino. “Embora o Estado do Piauí esteja em alerta epidemiológico, em virtude do crescente aumento do número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), causada principalmente pelo vírus Influenza H1N1 na região sudeste e sul do Brasil, até o momento não apresentou nenhum caso confirmado para o vírus”, disse Amélia.

Vacinação

Por critério epidemiológico, a Secretaria de Estado da Saúde, de acordo com a recomendação do Ministério da Saúde, orientou aos municípios que tiveram casos suspeitos notificados da Influenza H1N1 antecipassem o calendário de vacinação, mantendo o 30 de abril, como o Dia D de vacinação.

Ao todo, serão 732.193 doses a serem distribuídas para todos os municípios piauienses. A imunização é voltada para os grupos prioritários: crianças de seis meses a menores de 5 anos, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), pessoas com mais de 60 anos, trabalhadores da saúde, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade, população indígena, bem como doentes crônicos com recomendação médica, pessoas com problemas respiratórios, cardíacos, com baixa imunidade, dentre outros.

Para o tratamento da Influenza, o Estado disponibiliza 7.500 doses de antiviral Oseltamivir, de nome comercial Tamiflu. Havendo suspeita de Influenza H1N1, o paciente é submetido à medicação e ainda é recolhido amostra para exame laboratorial.

Fonte: cidadeverde

Compartilhe

Deixe seu comentário