Valença do Piauí, 23 de maio, 2024

Piauí realiza vigilância sorológica para garantir status de zona livre da aftosa sem vacinação

A Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi), está realizando a sorologia para febre aftosa em 85 propriedades rurais do estado, distribuídas em mais de 60 municípios. A coleta de sangue é uma das etapas mais importantes para que o estado seja reconhecido internacionalmente como zona livre da doença sem vacinação pela Organização Mundial da Saúde Animal (OMSA).

De acordo com a Adapi, estão sendo colhidas amostras de aproximadamente 700 bovinos de 6 a 24 meses, realização de inspeções clínicas, além das conferências de rebanho.  

“Essa sorologia servirá como base do estudo coordenado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), para comprovar que não existe a circulação do vírus da febre aftosa nessas regiões. A metodologia utilizada e os resultados obtidos irão compor o relatório que será enviado à Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA). A seleção das propriedades foi feita por amostragem, e no Piauí, ocorrerá em 85 propriedades. Esse valor, se somará ao de outros estados do país, que também pleiteiam a mudança de status, no total, chegará a 333 estabelecimentos rurais nesta área”, explica Simone Lima, coordenadora do Programa Estadual de Vigilância para Febre Aftosa. 

O estudo concentra-se na vigilância sorológica nos estados do Piauí, Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima, que compõem a Área 3, e visa subsidiar a expansão da área do território nacional reconhecida como livre de febre aftosa, onde a vacinação não é praticada. 

No Piauí, a ação começou a ser realizada no final do mês de março, com prazo até o fim abril para a conclusão das coletas de materiais e envio para análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Belém do Pará (LFDA- PA). De acordo com o cronograma de ações, todas as etapas do estudo devem ser finalizadas até o mês de julho.

Última campanha de vacinação do Piauí

O Piauí realiza durante todo o mês de abril a última etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa. A meta é imunizar cerca de 2 milhões de bovinos e bubalinos até o dia 30 de abril. O prazo para a vacinação é improrrogável, já que a portaria publicada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária, que reconhece o estado piauiense como zona livre da doença sem vacinação, começa a vigorar a partir do dia 1° de maio. O produtor tem até o dia 15 de maio para certificar a vacina junto à Adapi.

O secretário da Assistência Técnica e Defesa Agropecuária, Fábio Abreu, ressaltou a importância histórica do avanço da classificação sanitária do Piauí em relação à febre aftosa e destaca que até 2025, o trabalho será de grande esforço para que o Piauí obtenha o reconhecimento internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA). 

“Atingir um bom percentual de cobertura é um passo dessa trajetória. Durante todo esse ano teremos que cumprir uma série de outros critérios, para que no próximo ano possamos ter o certificado internacional de zona livre da doença sem vacinação, ou seja, teremos um rebanho com qualidade para conquistar mercados fora do país”, finalizou o secretário.

Fonte: SECOM

0 Comentário