Portal V1

Prefeitos do Piauí farão manifestação nesta quinta-feira em Teresina

26/08/2015

dia_27aDiversas entidades nacionais, com representação no Piauí, estão manifestando apoio ao movimento municipalista organizado pela Associação Piauiense de Municípios (APPM), marcado para a próxima quinta-feira (27). A Passeata em Defesa dos Municípios sairá da Assembleia Legislativa, ás 8:30, e irá até o Karnak, onde o governador Wellington Dias receberá prefeitos, secretários, vereadores e demais participantes do protesto.

Os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM), Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems), União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas) além de apoiar estão convocando seus associados a participarem do movimento que visa alertar para a grave crise pela qual passam os municípios, queda de arrecadação, principalmente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), e falta de compromisso dos governos Estadual e Federal em honrar com acordos firmados com o ente municipal.

Até o momento, quase 200 prefeitos municipais confirmaram presença na passeata. Já secretários municipais de saúde, são 100 confirmados, segundo a presidente do Cosems-PI, Leopoldina Cipriano.

“São inúmeros problemas que afetam diretamente o atendimento ao cidadão nos municípios, como os seis meses de atraso do cofinancimamento estadual da saúde, dois meses dos hospitais de pequeno porte, a metade do 13° salário dos funcionários desses hospitais, lei que reduz o número de agentes de endemias, emendas parlamentares retidas, parcela do requalifica, dentre outros”, destaca a presidente.

 

Já os ODM Núcleo Piauí divulgou carta elaborada no Seminário Diálogos pela Sustentabilidade Piauí, realizado no dia 20 de agosto:

“Apoiamos os prefeitos e prefeitas municipais, na busca de soluções de financiamento, ampliação da participação social e qualificação técnica para execução de ações, visando à melhoria da qualidade de vida de seus munícipes, bem como a urgência pautada pelo municipalismo do estabelecimento de um novo Pacto Federativo no país”.

No caso do FPM, a expectativa era de um crescimento de 28% em 2015 para que os municípios pudessem cumprir com os pisos e o reajuste do salário mínimo, mas o crescimento foi de apenas 3%, sendo que no comparativo de agosto de 2014 e agosto de 2015 a queda chega a 24%.

FONTE: APPM

Compartilhe

Deixe seu comentário