Valença do Piauí, 23 de jan, 2021

Prefeitura confirma remanejamento de funcionários

Vereadores

Na penúltima sessão ordinária da câmara municipal, o vereador Lindomar Amâncio na tribuna da câmara pediu explicações à secretaria de administração sobre transferências irregulares de funcionários efetivos da prefeitura para outros poderes. Segundo o vereador esses funcionários teriam sido transferidos sem serem consultados e mais ainda, seriam transferidos porque não acompanharam politicamente o grupo do prefeito municipal denunciou o vereador Lindomar.

O vereador chegou a aprovar por unanimidade a convocação da secretária de administração Fátima Lira para dar explicações sobre o assunto, mas até o momento a ida da secretaria não foi confirmada. Ao final da sessão as “transferências” foram negadas veementemente pelo secretário de governo Raimundo Xavier.

Na oportunidade o vereador proponente cogitou a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar o caso. Apesar da gravidade do assunto, a matéria foi amenizada com as palavras do secretário de governo, mas nesta segunda-feira (26), a prefeitura municipal enviou um oficio confirmando as transferências, sob a alegação de que elas só não foram efetivadas porque os funcionários não compareceram aos locais de trabalho e não assinaram a comunicação. No oficio, o Executivo chegou a ameaçar os funcionários pela “desobediência”.

A presidenta Ielva Melão que na sessão anterior havia dito que não acreditava que o Executivo tivesse autorizado à transferência criticou a postura e o conteúdo do oficio enviado ao Parlamento. Ela se irritou com as ameaças aos funcionários que não tem nenhuma obrigação de trabalhar em outros poderes sem o seu consentimento.

O oficio com as ameaças e a recusa da secretaria de administração em ir ao parlamento chegam na mesma hora em que o prefeito Alcântara tenta conseguir votos da oposição para a aprovação de uma suplementação no orçamento desse ano, que o ajudará a fechar suas contas, contas estas que mesmo com 50% do orçamento livre para remanejamento não foi possível fechá-las e depende dos votos da oposição para não ter problemas com a Lei de Responsabilidade Fiscal.

0 Comentário