Portal V1

Prefeitura Nega Construção de Espaço Cultural no Novo Horizonte.

27/04/2010
Geovane Vieira

Geovane Vieira

Está sendo construído no CSU um espaço cultural para abrigar futuros eventos públicos em Valença. A obra é coordenada pelo Instituto Avance em parceria com o governo do estado, através da FUNDAC, via deputada Flora Isabel.

O projeto inicialmente estava previsto para a quadra do Bairro Novo Horizonte, mais a prefeitura não liberou o local. A informação foi repassada ao portalv1pelo diretor do Instituto Avance Geovane Vieira, que informou ainda que foi solicitado o espaço mais não obteve resposta “enviamos um oficio e nos reunimos com os secretários de governo, de obras, de cultura e com a controladora, pedindo a autorização para a construção do palco no Novo Horizonte, mais o prefeito não autorizou e para não perder a obra transferimos para o CSU” disse.

Geovane Vieira disse ainda não entender o comportamento do Executivo “o prefeito vive falando em parceria pra construir obras em Valença, mas na pratica ele se comporta totalmente diferente” falou.

Compartilhe

2 Comentários

  1. miskoo em 28/04/2010 às 08:31

    E é com esse tipo de gente que vcs do PT vão se coligar?

  2. vicente izidorio soares em 28/04/2010 às 08:58

    O PT nasceu de cesariana, a 29 anos. O pai foi o movimento sindical, e a mãe, a igreja católica, através das comunidade eclesiais de base.
    Os orgulhosos padrinhos foram, primeiro o general Golbery do Couto e silva, que viu dar certo seu projeto de dividir a oposição brasileira.
    Da arvore frutuoso do PMDB nasceram o PMDB, o PDT, o PTB e o PT..
    Outro orgulhosos padrinhos foram os intelectuais basicamente paulista e cariocas, felizes de puder participar do crescimento de um partido puro,nascido na mais nobre das classes sociais, segundo eles: O ploretariado.
    O PT cresceu como criança mimada, manhosa voluntariosa e birrenta. Não do capitalismo, preferia o socialismo. Era revolucionário.dizia que na queria chegar ao puder, mas denunciar os erros das elites brasileiras.
    O PT lançava e elogiava candidatos, mas não dançava conforme a musica” . Não fazia acordos, não participava de colizões, não gostava de alianças. Era uma gente pura, ética, que não se misturava com picaretas.
    O PT entrou na juventude como muitos outros jovens: mimado, chato e brigando com o mundo adulto.
    Mas nos estados, o partido começava a ganhar a prefeituras e governos, fruto de alianças, conversas e conchavos. E assim os petistas passaram a se relacionar com empresários, empreiteiros, e banqueiro.
    Tudo chique conforme o figurino.
    Em 2002 o PT ingressou finalmente na maioridade ganhou a presidência da republica. E teve que se livrar de antigos companheiros, amizades problemáticas. Teve que abri mão de convicções, amigos de Fe irmãos camaradas.
    O primeiro desilusão se deu entre intelectuais. Gente da mais alta estirpe, como Francisco de Oliveira, Leonardo Konder e Carlos Nelson Coutinho se afastou do partido, seguido de um grupo liderado por Plínio de arruda Sampaio.

Deixe seu comentário