Valença do Piauí, 27 de nov, 2021

PRF fecha saídas e busca pista do bebê sequestrado em Teresina

ele foi sequestrado de dentro da maternidade do Hospital do Satélite
ele foi sequestrado de dentro da maternidade do Hospital do Satélite

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Rodoviária Estadual entraram na investigação do sequestro do recém-nascido e fecharam as saídas de Teresina para que a sequestradora não fuja do perímetro urbano. A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) segue pistas e espera recuperar a criança nas próximas horas.

O filho da dona de casa Francisca Eliene Lima Santos, 27 anos, foi sequestrada na manhã desta segunda-feira (4), de dentro da maternidade do Hospital do Satélite. Uma falsa enfermeira levou a criança dizendo que iria pesá-la e vaciná-la. Até o momento não há pistas sobre identidade da sequestradora. O bebê tem apenas dois dias de nascido.

O chefe de investigação da DPCA informou que irá se reunir com o coronel Albuquerque, chefe de Operações Especiais da Polícia Militar, para traçar estratégias, baseadas no último caso de sequestro de recém-nascido, ocorrido em dezembro de 2011.

“O outro caso é bastante semelhante. A mulher vestida de enfermeira entrou na Evangelina Rosa e sequestrou uma menina recém-nascida”, completou Joattan, destacando que em todos os casos de sequestro de menores ocorrido nos últimos dois anos, a DPCA conseguiu encontrar a vítima e prender os acusados.

“Os outros casos conseguimos solucionar numa média de 48 horas, com exceção do caso do menino Fabrício, que foi considerado morto e foge da nossa competência. Mas, estamos unindo esforços para encontrar esse bebê o mais rápido possível. Já estamos seguindo algumas informações, que ainda não podem ser divulgadas para não prejudicar as investigações”, disse Joattan.

Atualizada às 14h12 (Horário local)

Um bebê foi sequestrado de dentro da maternidade no bairro Satélite, na manhã desta segunda-feira (4). De acordo com a polícia, uma mulher de jaleco entrou no quarto em que o recém-nascido estava com a mãe e a avó e o levou dizendo que iria pesá-lo.

O chefe de investigação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Joattan Gonçalves, disse que a suspeita é uma mulher de cerca de 1,75 m, tem cabelo longo de cor preta medindo pouco acima da cintura, é magra e usava calça jeans preta e camisa preta, coberta por um jaleco branco.

“A primeira informação foi de que ela fugiu com o bebê em um carro modelo Ronda Civic de cor prata, mas não temos certeza. Estamos fazendo diligências para encontrá-la. No momento, sabemos que ela levou apenas uma criança”, disse Joattan ao Cidadeverde.com.

O hospital e estabelecimentos vizinhos não possuem câmeras de segurança, o que dificulta o trabalho da polícia. “Há câmeras em uma lotérica próxima, mas a suspeita não foi em direção a ela. Estamos colhendo informações das pessoas que a viram dentro do hospital, já que ela não usou máscara”, acrescentou o investigador.

O bebê roubado é do sexo masculino e nasceu há dois dias. A mãe, Francisca Eliene Lima Santos, 27 anos, desesperada, conta tudo aconteceu enquanto a avó foi buscar o cartão do bebê.

“A mulher entrou aqui no quarto, estávamos eu, minha mãe e outra paciente. Ela avisou que iria pesar o bebê e saiu. Depois de um tempo voltou e disse que estava na hora. Minha mãe, avó da criança, a seguiu até a sala de pesagem. Lá, a mulher perguntou pelo cartão do bebê. Minha mãe havia esquecido, então a mulher pediu que ela fosse buscar e deixasse a criança. Quando minha mãe voltou, ela havia fugido”, disse Eliene.

A polícia ressaltou que a suspeita chegou ao local por volta das 11h, passou de 10 a 15 minutos dentro da maternidade, foi vista por várias mães e funcionários, mas ninguém a abordou. Algumas pessoas que estavam na maternidade afirmam que viram a falsa enfermeira fugir de mototáxi, não de Honda Civic.

 

Fonte: cidadeverde

0 Comentário