Valença do Piauí, 21 de out, 2021

Servidores do hospital participam de oficina sobre comunicação

Hospital Regional Eustáquio Portela
Hospital Regional Eustáquio Portela

Servidores do hospital regional Eustáquio Portela participaram de oficina sobre comunicação com o objetivo de melhorar a comunicação entre os profissionais para um melhor atendimento aos pacientes. A oficina é patrocinada pela Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI), através da Ouvidoria do SUS.

A ouvidora do SUS no Estado, Margareth Eulálio participou das palestras e afirmou que muitos problemas podem ser resolvidos com uma boa comunicação entre os servidores.

“A comunicação precisa ser melhor colocada dentro do ambiente do hospital pra que o paciente não passe por nenhuma situação de risco. Nosso objetivo é trazer essa proposta de comunicação porque na ouvidoria à gente observa uma quantidade muito grande de reclamação e a gente percebe que a maioria das reclamações é pela ineficiência no processo de comunicação entre paciente e profissional e entre os profissionais de saúde” observou Margareth Eulálio.

A jornalista Fatima Oliveira da assessoria de comunicação do HGV afirmou que a oficina faz parte de um trabalho desenvolvido na SESAPI de implantação das 6 metas internacionais de segurança do paciente. “A Secretaria de Saúde está preocupada com a adoção das metas internacionais de segurança do paciente, que foi a segunda meta estabelecida. A boa comunicação vai viabilizar uma melhora no processo de trabalho e com essa melhoria ela vai reduzir os riscos que o paciente pode sofrer dentro do ambiente hospitalar” afirmou.

Essa comunicação segundo Fatima Oliveira atingirá todos os setores com a finalidade de qualificar o servidor a melhorar sua comunicação com os colegas e no preenchimento do livro de ocorrências e dos prontuários médicos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a falta de comunicação entre equipes de saúde é responsável por 60% de todos os eventos adversos que acontecem nos serviços de saúde. Sobre essas metas a diretora do hospital Lucilia Marreiros afirmou que o hospital regional já deu inicio aos protocolos de implantação das metas de segurança dos pacientes que foram divididas em seis metas. A comunicação é mais um procedimento vivenciado pelos servidores do hospital segundo a diretora.

.

Veja abaixo as seis metas internacionais.

1- Identificar Corretamente o Paciente: Confirme a identidade dos pacientes antes da realização de exames e procedimentos. Essa medida evita erros. Importante conferir mais de um dado do paciente para confirmar. Também deve-se colocar a pulseira ou etiqueta para melhor identificação.

2- Melhorar a Comunicação entre Profissionais de Saúde: Registre no prontuário o maior número possível de informações sobre o cuidado, procedimentos e condutas com aquele paciente. Atenção: As informações sobre o paciente, especialmente nos momentos críticos como transferência de unidade ou troca de plantão, confirme e certifique-se que as informações estão todas compreendidas.

3- Melhorar a Segurança na Prescrição, no Uso e na Administração de Medicamentos: Antes de administrar qualquer medicamento, certifique-se se paciente, medicamento, horário, via, dose e anotações estão corretos. Atenção aos medicamentos potencialmente perigosos e de alta vigilância, faça a dupla checagem. Utilize etiquetas auxiliares com cores ou sinais de alerta diferenciados.

4- Realização de Cirurgia Segura em Sítio Cirúrgico, Procedimento e Paciente Corretos: Antes de qualquer cirurgia, verifique o local, o funcionamento dos equipamentos e os procedimentos necessários. Atenção: Não esqueça de fazer o checklist cirúrgico e documentar no prontuário: avaliação pré-anestésica, anamnese, exame físico, consentimento informado e identificação precisa do paciente. Quando possível, envolva o paciente no processo.

5- Higienizar as Mãos Para Evitar Infecções: Adote a higienização correta e constante das mãos para prevenir infecções. Fique atento: Higienize as mãos antes de tocar o paciente; antes de realizar procedimento limpo/asséptico; após risco de exposição a fluidos corporais; após tocar o paciente; após tocar superfícies próximas ao paciente.

6- Avalie o Paciente em Relação ao Risco de Queda e Úlcera por Pressão, Estabelecendo Ações Preventivas: Avalie os pacientes em relação ao risco de queda, bem como as instalações físicas e a assistência prestada. Atenção: Pacientes sob efeito de medicamentos precisam de atenção redobrada. Avalie o ambiente, as condições de acessibilidade e de locomoção de pacientes. Paciente e acompanhante devem receber orientações.

 

Fonte: OMS – Organização Mundial de Saúde

0 Comentário