Valença do Piauí, 15 de jun, 2021

Valença se despede do maestro Chico Gabriel

Amigos e parentes prestaram a ultima homenagem ao maestro Chico Gabriel

Na manha deste sábado, 16 de abril, foi enterrado no cemitério São Benedito em Valença do Piaui, o corpo do ex-funcionário do IBAMA e maestro Chico Gabriel, de 79 anos. Chico Gabriel sofria de mal de Alzheimer e faleceu nesta sexta-feira (15), em sua residência na Rua Coronel Aníbal Martins.

O cortejo de sua residência até a Igreja Matriz foi acompanhada por muitos amigos e familiares e pela banda de musica sua maior paixão em vida, depois da família.

A missa de corpo presente celebrada pelo padre Miguel Júnior reuniu muitos amigos que lembravam a figura do bom pai, amigo, esposo, filho e de sua paixão pela musica.

O maestro Chico Gabriel certamente deixará saudades a todos que o conheceram e tiveram o privilégio de serem embalados ao som sempre alegre do seu saxofone. Sua paixão pela musica foi repassada para muitas gerações, que hoje retribuíram ao mestre com uma bela homenagem.

.
8 Comentários

antonio de picos

Valença esta de luto,pois morreu umas das pessoas mais culta que ja tive a honra de conhecer,pois morreu o grandioso e mais conceituado maestro que valença já teve.Chico gabriel não tenho nem palavras pra falar.

16 abr, 2011 Responder

luisa cunha

Tive a honra de conhecer seu Chico Gabriel, um gênio da musica Valenciana, um pai zeloso e um amigo precioso, sei que neste momento difícil as palavras pouco confortam, são etapas da vida que nos custam sempre aceitar, mas eternamente ficam as memórias e as infindáveis recordações. As minhas sentidas e sinceras condolências à família.
Luisa Cunha.

16 abr, 2011 Responder

vicente izidorio

Sem sombra de dúvidas o maestro Francisco Gabriel alegrou muitos corações e deixará um legado para todos que o conheceram e sabiam da sua imensa paixão pela música. Chico, teve uma participação muito importante na formação da nova geração de músicos de Valença. Na ocasião parabenizo a todos os músicos de Valença pela justa homenagem prestada.
Maestro, descanse em paz, que o senhor Jesus e os bem feitores da espiritualidade maior te recebam na nova morada.
Deus me deu a arte como dom
Foi como nascer numa avenida
Meu primeiro choro foi no Tom
foi pra mim tão bom
Tenho a fé fortalecida
Já cheguei sabendo a profissão
Ela é a missão da minha vida
Se eu puder tocar um coração
Faço a minha obrigação
Estou sempre agradecido,
Agradecido

Abro o coração em oração
Rezo o meu terço
Grata à vocação,à inspiração
Que vem de berço
Que essa luz divina que do alto,venha iluminar meu palco como desce o véu.
Sinto a mão do Pai,
Que Ele está perto e me segura
Manga quando cai no tempo certo está madura
Tudo que acontece tem uma razão de ser
E agradeço aos céus

16 abr, 2011 Responder

vicente izidorio

Vendo alguns comentários de pessoas que nem de Valença são, me remeto a uma reflexão: Que valor tem as pessoas de bem que de alguma forma deixaram um legado para as futuras gerações Valencianas? Francisco Gabriel merecia todas as homenagens, principalmente do poder público, tanto do executivo como do legislativo, mas entretanto a única homenagem que o querido maestro recebeu foi dos seus colegas músicos que deram uma verdadeira demonstração de solidariedade, e de amor ao próximo, demonstrando que as organizações de classe estão acima das organizaçõe políticas.
A pouco mais de um mês tive a noticia que tinha falecido em Valença o mestre Alfredo Lima pessoa pela qual sempre tive muita estima e respeito, mas que não vi nem uma nota, em nenhum jornal ou site local falando do seu falecimento. Mestre Alfredo Lima foi uma pessoa que em vida deixou vários exemplos que poderiam ser seguido por todos nós; Foi fundador de um dos maiores times que Valença Já conheceu, chama-se esquadrão que tinha como jogador o querido Chaga amarelinho, Riba amarelinho, Algustavo Sampaio(em memória), Pedro do mestre Zuca e tantos outros.
Mestre Alfredo, como era popularmente conhecido, deixou a sua marca como construtor em vários prédios que hoje servem a nosso população: O fórum Arlindo Nogueira, o mercado publico Adalberto Correia Lima, O Estádio municipal Gaudêncio Veloso, o abrigo público e várias praças. Claro que não dá para enumerar todas as suas obras , mais o que estou querendo dizer é que temos que valorizar o nosso passado, porque povo que não tem passado não tem futuro.

17 abr, 2011 Responder

Patrícia Lima

Obrigada por exaltar a memória do meu querido avô Metre Alfredo Lima.

06 set, 2011 Responder

zezé do tontonho

Alegrias do passado se se voltam nesse sábado , mas uma volta triste, valença se dispede de uma figura ilustre que jamais será esquecida principalmente pelos apreciadores da música.
Quem não teve a oportunidade de ouvi ou dançar ao som do seu saxsofone que tanto nos alegrou em festas como seresta, forró ou até mesmo são gonçalo, eventos típicas da cidade, agora ficamos na saudades pois jamais esqueceremos do seu dom de fazer a nossa diversão, que vc encontre o descanço eterno.

19 abr, 2011 Responder

Castor Castro

Eu brinquei muito carnaval, festa, tertúlia ao som do sax do CHICO GABRIEL, um cara muito brincalhão, acima de tudo um GÊNIO no cenário musical da nossa região. Abraços Castor

20 abr, 2011 Responder

Vécio

toquei com o Mestre Chico Gabriel, no conjunto os Magnos de Valença do Piauí, entre 1975 e 1976, ele é um músico efêmero, nos Magnos ele tocava sax_alto, uma maravilha de pessoa, brincalhão ele era, fazia proza de tudo, e era Diretor do CROVAPI (Clube Recreativo do Operários de Valença do Piauí), pois o tempo passa, ninguém me se alembra de mim, morei dois anos em Valença, além de músico, fui professor de inglês, meus idos mais vibrantes, em minha fagulha de adolescente, tenho saudade, outra grande pessoa é o Pe. Nery, tempos bons, não cobro recordação de ninguém, apenas sinto saudades, daqueles que me acolheram, na pessoa do Neto Leite, dono do conjunto, um grande homem, e de seu irmão, meu amigo, Miúdo, e do James, dentre tantos outros

21 fev, 2017 Responder