Valença do Piauí, 24 de jan, 2021

VESTIBULAR UESPI 2012: VALENÇA, OFERTA DE CURSOS = ZERO

Professora Marlene Tenório

O portalv1 reproduz um artigo escrito pela professora Marlene Tenório no Jornal Folha Valençana retratando as dificuldades em que passa o Campus da UESPI de Valença que não ofertará nenhum curso no próximo ano. Acompanha matéria na integra:

Na folha valençana do mês de junho, publiquei uma matéria de alerta sobre a total ausência de cursos da UESPI ao campus de Valença. Defendi muitos estudantes que sonham em fazer um curso superior, mas os pais não têm um padrão de vida suficiente para deslocá-los para outras cidades e dessa forma estes jovens, estacionam seus currículos no Ensino Médio.

Dialoguei com alguns radialistas, pedindo-lhes que fizesse uma matéria em seus jornais sobre o preocupante tema. Ora, a EDUCAÇÃO é o passo mais importante para a consciência e o progresso do ser humano. Cobrei de um vereador, por direito, óbvio,que discutisse o assunto com os outros e fossem a Teresina cobrar de outros representantes (GOVERNADOR E DEPUTADOS) e do Reitor. Mesmo que não conseguissem , mas teriam praticado a justa ação de lutar pelo povo que os elegeu. A sociedade, ficaria orgulhosa de seus representantes, se tal fato tivesse ocorrido.

Se houve algum esforço dos políticos de Valença nesse sentido, não tive conhecimento. Sabemos que a UESPI passa por uma grande crise financeira, nos últimos anos, culpa de um sistema que não tem interesse em progredir a educação de nosso estado. O Reitor, eleito democraticamente, alega a carência de professores efetivos para ministrar aulas nos polos do interior. Engraçado, antes funcionavam bem e com opções variadas de cursos. O Governador esteve aqui. Será que algum político daqui, preocupado com o futuro da juventude, dialogou com ele sobre este assunto? Não se tem conhecimento. Orgulho-me se este fato ocorreu.

Em 2008, enfrentei as ruas com os estudantes, alguns professores, radialistas e contei com o apoio de um atual vereador. Motivo: apenas o curso de matemática para este polo. Foi um sucesso. Alguns políticos locais, com a manifestação, foram a Teresina, reuniram-se com a eis Reitora, para reivindicar mais cursos. Não conseguiram, pois o edital já estava pronto, masse esforçaram. Parabéns aos que foram. Infelizmente o mesmo não ocorreu com o próximo vestibular. Não fizemos manifestação este ano, mas nunca deixei de me preocupar com este problema tão grave, afinal, sou uma educadora comprometida com o crescimento intelectual e o futuro dos jovens.

Que esta crítica construtiva, democrática e justa, feita este ano, pela segunda vez, neste jornal, seja lembrada no próximo ano e com a cobrança do povo aos nossos representantes, possamos vencer este impasse e ter uma UESPI, com oferta de cursos que orgulhe os estudantes de Valença

Profª Marlene Tenório

Fonte: Folha Valençana

21 Comentários

Poliana Crispim

Ela sim,é peocupada com a educação,essa sim é uma professora que da orgulho a sua profição…

11 out, 2011 Responder

Prof. Daniel

VERGONHA VALENCIANA.

Assino em baixo a nota da Professora Marlene.
Infelizmente a situação é caótica e merece uma resposta no ano seguinte. Se continuármos dando esse apoio de 2 em 2 anos a UESPI será a mesma,Valença retrocederá mais ainda e nossa juventude não prosperará.

12 out, 2011 Responder

e.oliveira

concordo com a professora quando diz que os políticos de Valença tão nem aí para educação, pois não justifica uma cidade com o número de habitantes como Valença não oferecer um curso se quer no vestibular da estadual, é triste ver a situação de muitos jovens que não tem condições de estudar fora, pois os mesmo são obrigados a ficarem com o ensino médio e pronto, sem chances para o mercado de trabalho.

ISSO É UMA VERGONHA NACIONAL, SERÁ QUE OS POLITICOS NÃO QUEREM QUE ESSAS PESSOAS SE EDUQUEM PARA ELES FAZEREM E ACONTECEREM E NÃO TER NINGUÉM COM GRADUAÇÃO SUFICIENTE PARA IR CONTRA OS MESMOS???
VERGONHA!!!!!!!!!!!!!!!!

12 out, 2011 Responder

Mauricio Jones

Parabens pela iniciativa professora Marlene, mesmo sendo uma voz perdida no meio do silencio sepulcral dos nossos politicos(TODOS de VALENÇA)em relação a educação. A senhora vai ver eles se manifestarem no proximo ano, pois será ano de eleição. Enquanto isso pão e circo.

12 out, 2011 Responder

dk

todos pela educaçao,esse e´o slogan de nosso governo,que ironia!

12 out, 2011 Responder

Ranier Nunes

Grande parte dos “ditos representantes políticos” dessa cidade não estão nem um pouco interessados com a construção do conhecimento, amadurecimento intelectual e autonomia crítica do restante da população, pois eles próprios não possuem tais atributos, bem como são sabedores dos perigos que correm, quando lidam com pessoas críticas, questionadoras e não conformistas com o “status quo” reinante em nossa querida Valença. A ausência de vagas nos cursos superiores na UESPI em Valença, acabam por acelerar os processos de ignorância e inércia por parte da grande massa falida, combustível esse valioso para que as estruturas políticas patriarcais continuem a imperar na comunidade que um dia foi chamada de “Cidade Sorriso”.

12 out, 2011 Responder

MARLENE TENÓRIO

Vultosa cultura, eminente crítica, feita por Ranier Nunes com relação ao conhecimento da massa que os políticos não contribuem para desenvolver. Concordo que se o povo é informado, a corrupção será vigiada. Exaamente o que os políticos rejeitam para a sociedade, afinal, a farra para eles tem que continuar. Mas a marcha contra a corrupção começa a fluir em nosso país. como ocorreu no dia 7 de setembro e esta semana em várias capitais do país. Espera-se que no próximo ano, nas eleições municipais, o povo não se renda às falácias demagogas recheadas de promessas com linguagens alienantes nos palanques e nas visitas aos lares. Acordemos do sonho da ilusão e passemos a agir, cobrando seriedade e compromisso desses políticos que nós elegemos.

14 out, 2011 Responder

anônimo

E onde estão os políticos da cidade? Creio que, olhando o que o outro faz ou deixa de fazer. Se procurassem buscar o que mais a cidade precisa com certeza Valença seria realmente a CIDADE SORRISO.

SERÁ QUE ELES CONHECEM O VERBO AGIR?

12 out, 2011 Responder

Raniery

É louvável esta iniciativa da Professroa Marlene, tendo em vista que ela retrata a situação lamentável do Campi da UESPI em nossa cidade. São muitos concluintes do 3ª Série do Ensino Médio, que são obrigado a parar os seus estudos por não terem condições de morar em outra cidade. É injustificável a ausência de cursos para Uespi-Valença, pois a região valenciana é grande, portanto tem gente querendo estudar, além do que isso representa um retorcesso. Estamos vendo isso acontecer, e nossos representantes que atitudes estão tomando para reverter esta situação ?

12 out, 2011 Responder

Yslânia Moreira

Orgulho-me demais por ter sido aluna da Profª Marlene Tenório, altamente profissional e apaixonada pelo que faz! Parabéns professora!!!!

12 out, 2011 Responder

Carlos Wagner da Silva Rosa

Merece monsão de aplauso a professora Marlene Tenório, por mais uma vez demonstrar a sua preocupação com a nossa juventude estudantil.
Pena que nossos representantes não tenham este mesmo pensamento, mais como disse o caro Mauricio Jones no proximo ano o povo ouvirá muitas promessas mentirosas a respeito de cursos na UESPI Campus Valença. Agora cabe a nós darmos a resposta a esses políticos mentirosos de Valença…..

13 out, 2011 Responder

Franklin Mendes

É com muita tristeza que vejo o descaso com a UESPI de Valença.A USPI de Valença só está em funcionamento graças a UAPI/UFPI/CEAD/UAB. Alguns dizem que a UAPI é quem irá tomar conta do pólo da UESPI. Sobre a questão de vagas para o vestibular, só foi ofertado, pela UESPI, na modalidade a distância para pedagogia. Cursos para o período regular será dificil haver em nossa cidade. A UESPI esta realizando um concurso para professores efetivos, E Valença como sempre ZERO, não tem ofertas para professores. Os ricos não estão nem ai, eles têm dinheiro para pagar uma faculdade boa para seus filhos e os pobres que se contentem com o que tem. Isso é democratização do ensino? Parabéns profª Marlene, se Valença tivesse 2 Marlenes a educação ia ser outra.

13 out, 2011 Responder

kell.sy mendes

Bom as eleiçaes estao chegando vai ter mtos politicos pedindo votos sera que eles nao sabe que maioria desses eleitores sao jovens?Eles nao tem noçao de qntos jovens vao se prejudicados por falta de atitude desses politicos que só querem votos e nada mais, estou fazendo cursinho popular para o vestibular em valença mas fequei mto apalada com esta noticia como tb varios outros jovens que queria cursar o vestibular em valença.Espero que esses politicos tome uma atitude imediata afinal todos nós jovens sonhamos em ter um superior.

13 out, 2011 Responder

Clarise

Os meus parabéns vão para o comentário feito por Ranier Nunes, que explicou da forma mais certa o desinteresse dos políticos pela educação. Eles querem que continuemos ingnorantes, incapazes de fazer escolhas. Particularmente acredito no fracasso da democracia, não desmerecendo o sistema político que é genial, mas por entender que não somos incapazes de fazer escolhas. A cada ano que passa somos atormentados com promessas infindáveis, que nao prosperam mais do que um comício. Deixo aqui minha profunda indginação com os políticos que nao se esforçam para melhorar a educação de Valença.

13 out, 2011 Responder

Clarise

Acessem no face: http://www.facebook.com/SmirnoffBrasil#!/profile.php?id=100000321209545&sk=wall
A página foi criada com intuito de promover discussaõ sobre vários assuntos entre eles: sociedade, política, juventude, educação, e outros temas pertinentes. Acesse a página e faça valer sua opnião. Lembrando que o único intuito da página é a exposição e confronto de opniões, estando o mesmo desvinculado de qualquer partido político.

14 out, 2011 Responder

dk

Essa situaçao e´ semelhante ao tempo da idade media quando foi introduzido o atual sistema de numeraçao que usamos.Os religiosos e burgueses temiam perder um pouco do controle que exerciam sobre a populaçao ignorante,ja´ que esses numeros sao muito faceis de usar.Eles alegavam serem numeros do demonio vindos de povos pagaos.Resumindo,educar a populaçao nao e´ uma prioridade.

14 out, 2011 Responder

Pâmela Laurentina

É um verdadeiro picadeiro essa situação e enquanto isso na outrolÂndia dos políticos…papo de surdo e mudo…Professora Marlene ainda que sendo uma das poucas vozes…continue…sim e o movimento estudantil tem que se mobilizar também, ou melhor toda a população!!!

14 out, 2011 Responder

Jota Junior

Parabens a prof. Marlene Tenório que luta em prol da educação. Pena que nesta cidade, as autoridades não levam a sério a mesma.
Pois sem educação ninguém pode evoluir.

15 out, 2011 Responder

francisco otavio

Bravo a Profa Marlene Tenorio sempre luta em defasa da educação. Pena que os governos, naõ se interessam pela mesma.
Sem educação não pode ter futuro.

15 out, 2011 Responder

O. L. S

Estamos profundamente “orgulhosos” de nossos representantes!
O caso da inexistência de cursos na UESPI, período regular, reflete um dilema que há muito tempo nossa cidade vem sofrendo: O ESQUECIMENTO! Valença é uma das mais antigas e foi uma das mais importantes cidades do nosso Estado, elegeu governador, é uma cidade pólo e muitas cidades dependem dela, vislumbra uma posição estratégica: fica às margens da BR-316 (uma das mais movimentadas do nordeste), fica no centro do Estado (onde fica fácil a escoação da produção em todas as direções “Se tivesse alguma coisa para exportar, é claro!”), terra apta para o plantio de grãos como a soja, riqueza de água doce (subterrâneas e nascentes), sítios arqueológicos, balneários que fazem inveja a muitas outras cidades… Contudo, caiu no atraso, no esquecimento… Hoje ela não é citada nem entre as vinte cidades mais importantes do Estado! Tudo por culpa de uma política pobre e falta de inteligência e força de vontade dos governantes. Eles (os governantes) não mostram respeito pelo povo, não dão satisfação alguma à população de casos como o da UESPI, não mostram serviço, não se incomodam com o atraso da cidade que os acolheram, não saíram da “caixa”, parecem que não são cabeças-pensantes, não são abertos ao mundo, são atrasados! Valença, assim como São Raimundo Nonato, possui sítios arqueológicos, mas não temos um arqueólogo, profissionais da área, turistas nem política de proteção rígida para proteger as pinturas rupestres! Eles não sabem nem a que é meio-ambiente! Nunca se preocuparam em adotarem uma política de proteção para a nascente do Rio Caatinginha, nunca pensaram que é necessários isolar um raio de 100 m para tal proteção e que suas águas podem ser usadas para hortas comunitárias, balneário: servindo tanto como laser com um lago para climatizar e umidificar a nossa cidade nos períodos críticos da seca (assim com os lagos artificiais em Brasília), enquanto eles dormem (os governantes), as casas avançam em seu sentido (da nascente do Rio Caatiguinha e seu curso fluvial). As poucas obras de infra-estrutura que agora vemos, fazem parte da política de desenvolvimento do Nordeste empregados pelo ex-presidente da república: Luis Inácio Lula da Silva (vulgar: Lula) e que têm sido continuada por sua sucessora: Dilma, e em nada tem mérito dos políticos locais.Voltando à questão da UESPI, pergunto: Cadê os vereadores (os formados em licenciatura e que até um deles lecionou na UESPI) que não defenderam os interesses dos jovens alunos que desejam ingressar em uma universidade? Por que a cidade de União tem zootecnia e Valença não tem nem ao menos pedagogia? União é melhor que Valença? Não, não é! A diferença que ela tem políticos pensantes, capazes e nós não!!! Rs…

15 out, 2011 Responder

genario araujo veloso

do q adianta vim esses cursos para valença se a gente cursa e naw recebe o diploma eu por exemplo terminei o meu curso em 2010 colei grau no 26/03/2011 e ate agora nada de certificado ja entrei com uns tres processos na uespi pedindo urgencia em recibimento do diploma e ate agora nada. pois passei em concurso publico fui chamado em março deste ano e ate agora naw pude assumir por culpa total e unica da uespi…isso é uma vergonha para a uespi e para o nosso estado…as mas administraçoes estao por toda parte quero ver como é que esse estado vai para frente…
se alguem souber de algum jeito para mim receber o diploma por favor me ajudem!!!
genário araujo veloso
email [email protected]
telefone (89) 81072629

18 out, 2011 Responder