Portal V1

Wilson Martins participou de convenção e visitou obras em Valença

18/09/2011

governador Wilson Martins durante solenidade no CSU

O governador Wilson Martins esteve na companhia de deputados e secretários na tarde deste sábado (17) em Valença do Piaui. A vinda do governador teve dois motivos, o inicio das comemorações dos 249 anos de Valença do Piaui comemorados na próxima terça-feira (20) e a participação na Convenção do PSB municipal. A vinda do governador a Valença teve algumas curiosidades como a inclusão no convite oficial da prefeitura da implementação ou inauguração de 06 redutores de velocidade (veja foto da programação).

A inusitada programação gerou muitos comentários, uma vez, que a atuação do governo do estado vem sendo muito criticada no município até mesmo por aliados do prefeito Alcântara. A timidez do governador em beneficiar nossa cidade com obras repercutiu na tribuna da Câmara Municipal, o vereador Lindomar Amâncio lembrou que antes da eleição, o então candidato Wilson Martins afirmou que o prefeito Alcântara só iria sofrer sem obras até a sua eleição que irá completar dois anos. O vereador Joaquim Filho lembrou que a única obra concreta do governo em Valença foi à nomeação de familiares do prefeito para os cargos mais importantes.

Na programação da prefeitura constava ainda a participação do governador nas futuras instalações do IFPI e a pavimentação poliédrica do Bairro Valentim, ambas fruto de projeto e emendas do senador João Vicente Claudino. Na sua vinda a Valença Wilson Martins oficializou a entrega do prédio do CSU para ser gerido pela prefeitura e onde funcionará o Projovem e no auditório do Sindicato Trabalhadores Rurais participou juntamente com lideranças de outras cidades da convenção do PSB que marcou o ingresso na sigla de lideranças como a ex-vereadora Ana Ribalta.

.

Compartilhe

3 Comentários

  1. Daniel Sousa em 19/09/2011 às 10:03

    INAUGURAÇÃO DE SEIS QUEBRA MOLAS É MUITO BOM KKKKK REALMENTE O GOVERNADOR FALOU ISSO, QUE O PREFEITO SÓ IA SOFRER ATÉ O DIA QUE ELE NÃO FOSSE GOVERNADOR PQ DEPOIS QUE ELE GANHACE JÁ ERA SOFRIMENTO, MAS ELE CUMPRIU MESMO A FAMILIA DO PREFEITO NUM TA TODA EMPREGADA TEM DELE QUE TÁ EM 3 EMPREGOS.

  2. vicente Izidorio em 19/09/2011 às 21:30

    Inaugura quebra molas e realmente um absurdo, não dá nem para comentar, só dá mesmo para lamentar tanta besteira.

  3. Mauro Rubens em 20/09/2011 às 14:45

    Os 6 (seis) redutores de velocidade, do tipo lombada, que o governador inaugurou, ficam entre o Campus da Uespi e o Povoado Barrinha. A placa indicativa da obra, no início da rodovia estadual que liga Valença a Lagoa do Sítio, estabelece que os redutores devem medir 8×3 metros e custar R$ 109.650,00 (cento e nove mil e seiscentos e cinquenta reais), ou R$ 18.275,00 (dezoito mil e duzentos e cinquenta reais) por cada lombada. Não é muito dinheiro para uma pequena obra? Ao menos o governo estadual teve a sensatez de divulgar o custo da construção, embora, com certeza, superfaturada. Enquanto isso, a Administração Municipal de Valença fez uma lombada entre as Avenidas Joaquim Manoel e 15 de Novembro que, além de não seguir o padrão legal, não divulgou em uma placa o custo da obra. Teria custado mais que dezoito mil reais? Por que o verdadeiro valor foi camuflado? O certo é que todo automóvel que passa pelo referido redutor arrasta o papo e rala sua parte inferior, podendo vir a romper a mangueira que leva o combustível do tanque ao motor e causar prejuízo ao seu proprietário. Qualquer redutor de velocidade deve obedecer ao disposto na Resolução do CONTRAN nº 39, de 21 de maio de 1998, alterada pela Resolução nº. 336 de 24 de novembro de 2009. Na realidade, é proibida a utilização de ondulações, tachas e tachões, aplicados transversalmente à via pública, como sonorizadores e redutores de velocidade, salvo em casos especiais definidos pelo órgão ou entidade competente, nos padrões e critérios estabelecidos pelo CONTRAN.”. A Resolução nº 39/98 diz respeito a edificação de lombadas comuns, feitas de compactação de asfalto ou cimento, devendo seguir os critérios de construção do CONTRAN pelas Prefeituras, o que, geralmente, não é obedecido. Também refiro-me àquelas feitas tipo “tachão quadrado”, fixadas no solo através de grampos, geralmente pintadas de amarelo, onde ao passar um veículo este solavanca toda sua suspensão. Infelizmente, os gestores municipais constroem lombadas em qualquer lugar, atendendo a simples requerimentos de vereadores, sem se dar conta de que tais redutores devem seguir normas específicas e que não podem ser construídos em qualquer local. Redutores de velocidade devem ser construídos apenas em locais onde está sendo realizada alguma obra, com a finalidade de controlar o trânsito no local, devendo ser retirados em seguida. Não podem ser feitas lombadas apenas para atender um pedido de vereador. Na verdade, um quebra-molas resolve o problema de uma família que mora ao lado de uma via, mas trás muito aborrecimento para os motoristas. Cumprir a lei não é apenas seguir regras de construção, mas, também, divulgar o custo da obra. Estou de olho!

Deixe seu comentário