Valença do Piauí, 04 de dez, 2021

Falta de chuva prejudica plantação e pecuária em Pimenteiras

Sem pasto os produtores de animais estão levando os animais para o estado o Ceará
Sem pasto os produtores de animais estão levando os animais para o estado o Ceará

A má distribuição das chuvas em Pimenteiras vem trazendo inúmeros transtornos a população atingida pela estiagem. Sem muitas alternativas, as famílias tentam conviver com a escassez das chuvas, que atinge parte do município um dos mais extensos do estado. De acordo com o secretário de agricultura Reinaldo Paiva que esteve visitando as áreas atingidas pela seca, as localidades Sitio das Onças Torre, Trincheira, Lagoinha e Veneza estão entre as mais atingidos pela estiagem. “A situação nas localidades Veneza, Torre, Trincheira, Lagoinha Sitio das Onças é muito grave. As chuvas não foram suficientes e os agricultores perderam toda a plantação” disse.

O agricultor Antonio Mota exemplificou a situação vivida pelas famílias da região. “Aqui tá com quatro anos de seca, mais essa é a maior que já teve. Eu plantei cerca de 12 tarefas esperava colher de 30 a 40 sacos de feijão, colhi quatro cocão, ou seja 4 litros de refrigerantes de dois litros” disse. Outro problema levantado pelo agricultor foi à falta de subsidio do governo. “Tenho um poço, mas não poço aguar muito porque não poço pagar as despesas com a energia” afirmou.

A agricultora Maria Carlos também relatou as dificuldades. “Essa colheita desse ano só vai dar para guardar para o plantio do próximo ano, o de comer vamos ter que comprar. O que sobrou foi só as despesas, pois para brocar e plantar pagamos R$ 25 reais o dia, fora comida e merenda e quando colhe dá mau para plantar no próximo ano, tá muito difícil” lamenta.

Durante a visita do secretário ele presenciou a dificuldade dos produtores de animais que sem pasto para os animais eles estão levando os mesmos para o vizinho estado do Ceará como explicou o produtor Antonio Francisco das Chagas. “Como aqui não tem água e nem pasto eu vou levando os animais para a Tauá no Ceará, lá existe dificuldade com a água, mas existe forragem para os animais. Se Deus quiser, os que eu não vender em janeiro trago eles de volta para Pimenteiras” disse.

Reinaldo Paiva afirmou que a prefeitura vem dando assistência aos agricultores por intermédio do governo federal como a distribuição aos produtores de animais do milho da CONAB, que se não fosse a burocracia seria uma boa alternativa. “Temos cerca de 180 produtores cadastrados na distribuição de milho, o problema é que por causa da burocracia o agricultor leva até seis meses para receber o milho. Assim como estamos em Brasília com um projeto para a perfuração de poços esperando apenas a sua efetivação. Pimenteiras tem muita água em seu subsolo e acredito que esse projeto será de grande valia, quando for efetivado”.

.
0 Comentário