Portal V1

Paralisação dos professores em Valença completará uma semana

09/09/2019

Professores da Creche Pró-infância

Educadores da Creche Pro-infância em Valença continuam de braços cruzados. A paralização completará uma semana nessa terça-feira (10) e o impasse entre a Prefeitura de Valença e os professores continuam sem um fim aparente.

De um lado os educadores que estão há 05 meses sem receber seus salários e do outro a secretaria de educação que não consegue honrar seus compromissos. A questão é ainda mais grave porque o problema não é apenas da creche pro-infância. Varias escolas e creche que estão na mesma situação, professores e vigias com 05 a 08 meses sem receber, assim como alguns motoristas. Isso se tratando da educação.

No caso especifico da Creche Pro-infância houve uma reunião na quinta-feira (05), onde foi prometido o pagamento do mês de junho, no entanto na sexta-feira (06) nada aconteceu nem se quer o encaminhamento do Documento de Arrecadação do Serviço Prestado (DAM) e nesta segunda-feira (09) a paralização continuou.

Além dos salários atrasados, os professores criticaram a estratégia usada pela prefeita Ceiça Dias na negociação. Ela escalou a secretária de saúde Ilana Reis para se reunir com os professores em detrimento do secretário da pasta Kássio Gomes.

A questão é que na reunião ao invés de negociar com as educadoras, Ilana Reis partiu para cima com palavras agressivas e ameaçadoras chamando-as de ingratas e que se elas parassem haveria 30 para cada vaga como relatou uma das educadoras em entrevista a FM Cidade.

As palavras da secretária Ilana Reis não surtiram efeito e as professoras pararam as atividades e lamentaram a agressão gratuita da secretaria que é professora e nesse ano foi coroada Imperatriz da Festa do Divino Espirito Santo 2019/2020.  

Sem acordo e sem dinheiro aparentemente, a expectativa e para saber os próximos passos da prefeita Ceiça Dias, se abre um novo canal de negociação ou se parte para a velha estratégia de ameaçar a substituição dos professores como foi dito pela secretária Ilana Reis que até o momento não se pronunciou sobre sua participação na negociação.

Compartilhe

Deixe seu comentário