Valença do Piauí, 14 de abr, 2021

Sinte marca greve para dia 14 e pode impedir início das aulas no Piauí

Odeni Silva, presidente do Sinte-PI

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Piauí (Sinte-PI) decidiu, em assembléia geral realizada na manhã desta segunda-feira (31), pelo indicativo de greve. Caso as reivindicações da categoria não sejam atendidas pelo governo até o dia 14 de fevereiro, o ano letivo na rede estadual de ensino não iniciará.

Segundo Odeni Silva, presidente do Sinte-PI, os profissionais em educação reclamam o pagamento do piso salarial de R$ 1.500, além do reajuste salarial dos técnicos referente ao ano de 2010.

“Estabelecemos até o dia 14 de fevereiro o prazo para o governo se posicionar sobre o indicativo de greve. Se eles não nos atenderem, vamos paralisar as atividades em todo o Estado”, afirma Odeni Silva.

No entanto, o Superintendente de Gestão da Secretaria de Educação e Cultura (Seduc), Neto Carvalho, afirma que “o Ministério da Educação ainda não estabeleceu o reajuste do piso salarial para os professores”.

Além disso, o Superintendente diz que não há nenhuma lei que determine o aumento dos salários dos servidores técnicos no ano passado e, portanto, a Seduc não pode pagar aquilo que não existe.

Mais reivindicações

Outro fator destacado pela presidente do Sinte-PI, é a necessidade da convocação de concursados para ampliação do quadro de professores do Estado. “Em 2010, iniciamos o ano letivo com debilidade de 20% da categoria”, pontua.

Quanto a isto, Neto Carvalho é enfático: “eles estão falando sem conhecimento de causa”. De acordo com o superintendente, a Seduc convocou, recentemente, os aprovados no último concurso público para o órgão.

“Estamos abertos a negociações”, finaliza Neto Carvalho.

fonte: cidadeverde.com

0 Comentário